sexta-feira, 19 de maio de 2017

‘Vivere in Pace’: Luigi Zampa fez uma bela comédia Neo-Realista sobre os efeitos da Segunda Guerra para a população italiana! – Marcos Doniseti!

‘Vivere in Pace’: Luigi Zampa fez uma bela comédia Neo-Realista sobre os efeitos da Segunda Guerra para a população italiana! – Marcos Doniseti!
'Vivere in Pace': Luigi Zampa fez uma ótima comédia Neo-Realista, que recebeu vários e merecidos prêmios internacionais. O filme tem uma bela trilha sonora, de autoria de Nino Rota.
Luigi Zampa foi um dos mais prolíficos e criativos cineastas italianos que foram, em algum momento de suas carreiras, ligados aos Neo-Realismo. 

Os seus primeiros filmes, que foram realizados logo após o final da Segunda Guerra Mundial, trataram dos efeitos do conflito sobre a população italiana. E um dos seus melhores trabalhos foi esta ótima comédia, um belíssimo filme que recebeu vários prêmios internacionais e de forma muito merecida. 

A história do filme se desenvolve durante a Segunda Guerra Mundial, na época em que os Aliados (EUA e Grã-Bretanha) haviam invadido o Sul da Itália (o que aconteceu no início de Julho de 1943) e já se aproximavam da região central do país. 

Nesta época, Mussolini foi afastado do governo, após ter sido derrubado pelos membros do Grande Conselho Fascista no dia 25/07/1943. Ele chegou a ser preso por ordens do novo governo italiano, mas uma operação comandada por um capitão da SS alemã (Otto Skorzeny) o libertou e o enviou para a Alemanha. 
Ronald e Joe são dois soldados dos EUA que fugiram de um campo de prisioneiros alemão. 
Depois disso, Mussolini passou a comandar um governo Fascista fantoche que se instalou nas regiões Norte e Centro da Itália. Tal governo entrou para a história com o nome de ‘República de Saló’ (Saló era a capital) e Mussolini era apenas o líder formal do mesmo, mas quem realmente o controlava eram os nazistas alemães.

Com as progressivas vitórias que foram sendo conquistada pelos Aliados, uma parte cada vez maior do território italiano foi saindo do controle nazi-fascista. Mesmo assim, a 'República de Saló' somente foi definitivamente destruída no final de Abril de 1945. 

Com isso, Mussolini foi executado pelos Partisans e seu corpo foi exposto, de cabeça para baixo, dependurado em frente a um posto de gasolina de Milão. 

A história do filme se passa inteiramente em um pequeno e isolado povoado, localizado em uma região montanhosa, do Centro da Itália, e que ainda permanecia sob o controle dos nazi-fascistas. Mas as forças Aliadas estavam, cada vez mais, se aproximando da região.
Tigna conversa com o secretário político fascista do povoado, para quem dá alguns 'presentes'. 
Apesar da Guerra, a população local continuou tocando a sua vida, procurando ficar totalmente afastada de qualquer coisa que se relacionasse ao brutal conflito.

Mesmo assim, os moradores do povoado não conseguirão impedir que a Guerra, de alguma maneira, acabasse por afetar as suas vidas, mesmo que fizessem de tudo para evitar que isso acontecesse. 

O principal nome do filme é o excepcional ator Aldo Fabrizi, de longa e brilhante trajetória no cinema italiano, e que também contribuiu para escrever o roteiro. E a bonita trilha sonora é de autoria do genial Nino Rota, muito famoso por suas inúmeras colaborações com Federico Fellini. 

Os protagonistas da trama são os membros de uma família de camponeses que é liderada por Tigna, que vive junto com a sua esposa (Corinna), dois sobrinhos (a bonita adolescente Silvia e o garoto Citto), um desertor do exército italiano (Franco) e o ‘Nonno’ (Avô), um veterano da Primeira Guerra Mundial. 

Em sua pequena propriedade eles cultivam alguns alimentos, criam galinhas, gado, porcos e cavalos.
Tigna e o Padre conversam sobre o que fazer em relação aos dois soldados que estão escondidos no estábulo da propriedade do camponês. 
Neste pequeno povoado da região central da Itália as pessoas nascem, vivem e morrem, procurando evitar ter qualquer envolvimento com os acontecimentos externos, vivendo a sua vida de forma tranquila e pacífica.

Mas as principais instituições e forças políticas e sociais estão presentes na localidade. 

Assim, no local temos uma Igreja (com o seu Padre, é claro) e um cemitério, um representante do governo Fascista (o Secretário Político), um médico socialista que é ligado à Resistência (os Partisans, guerrilheiros que lutavam contra os nazi-fascistas). 

No local, temos também a presença de um soldado da SS alemã (Hans) que cuida de um posto telefônico e de um depósito, bem como se encarrega de informar aos seus superiores qual é a situação existente no povoado. 

Obs1: Sempre que Hans aparecia em cena, começava a tocar um trecho do hino 
nacional alemão. E em um outro momento do filme ouvimos um trecho da trilha sonora de 'Roma, Cidade Aberta', filme do qual o brilhante ator Aldo Fabrizi participou. 
Silvia começa a gostar de Ronald e passa a se vestir melhor para conseguir conquistá-lo. 
Tudo isso acaba constituindo um microcosmo da Itália da época. 

Da mesma que os demais moradores do povoado, Tigna procura fazer com que a sua família fique alheia aos conflitos políticos e sociais que ocorrem na Itália neste momento, evitando que a mesma seja afetada pela Guerra e que ela sofra com as suas consequências. O que ele mais deseja, e fala isso para todos, é viver em paz. 

Assim, Tigna procura ter um bom relacionamento com todos: com o médico Socialista, com o Secretário Político fascista, com o membro da SS alemã e com o Padre. 


No momento em que Tigna faz a sua declaração de bens e a entrega para o secretário político, junto com a mesma ele também envia trigo e vinho, pagando uma espécie de suborno ao mesmo. Quando recebe a visita do membro da SS em sua propriedade ele também procura agradá-lo, lhe oferecendo vinho. Quando um membro da sua família fica doente, ele recorre ao médico Socialista. 

E assim o pacífico Tigna e a sua família conseguem ir tocando as suas vidas. Tigna é o tio generoso e de coração mole, que finge dar bronca nos dois sobrinhos, mas que na verdade os ajuda e os protege. Assim, ele leva comida para Silvia e Citto no quarto, enquanto diz para eles que ficarão sem poder jantar. 
Silvia sente-se atraída por Ronald.
Mas a situação começa a se modificar quando os Aliados começam a se aproximar da região central da Itália e dois soldados americanos (o branco Ronald e o negro Joe) fogem de um campo de prisioneiros alemão e aparecem no povoado. Joe está ferido e Ronald tem que cuidar do amigo. 

Eles acabam sendo descobertos por Silvia e Citto, que resolvem ajuda-los, por conta própria, sem dizer nada para o tio Tigna e para os demais. 

Silvia e Citto começam a roubar alimentos, tabaco, ovos, leite e até calças da casa de Tigna, a fim de ajudar os dois soldados. E o supersticioso ‘Nonno’ acredita que esses sumiços se devem à ação de ‘espíritos’. 

Mas ocorre uma tempestade na região e os dois soldados são levados, por Silvia e Citto, para o estábulo da propriedade. O barulho que fazem, no entanto, acaba por atrair a atenção de Tigna que, junto com o Nonno, o Padre e a esposa, vão até o local e descobrem a presença dos dois soldados. 

Corinna quer saber o que está acontecendo e o marido, Tigna, diz que é a vaca que está muito mal... 
A família de Tigna e os soldados fugitivos (Joe e Ronald) jantando juntos. 
Quando toma conhecimento da verdade, Corinna fica desesperada com a presença de um soldado negro no local, pois ouvira muitas histórias terríveis sobre os negros, enquanto que Tigna procura acalmá-la, dizendo que Joe não é negro, mas ‘só um pouquinho moreno’. 

Tigna e sua esposa temem que eles sejam punidos com a morte por estarem ajudando dois soldados inimigos que fugiram dos nazi-fascistas, mas ele decide que continuarão protegendo e abrigando a ambos, para o desespero de Corinna.

O ‘Nonno’, por sua vez, refere-se ao negro americano Joe como sendo ‘o etíope’, pois em 1935-1936 a Itália invadiu a Etiópia, transformando-a em uma colônia italiana, numa típica guerra colonial imperialista que transformou o ditador Benito Mussolini em uma figura extremamente popular na Itália. 

Obs2: O momento da vitória italiana sobre os etíopes foi a época em que Mussolini desfrutou de maior popularidade na Itália. Tal guerra foi extremamente brutal, teve características de ódio racial e nela os italianos fizeram uso intenso de gases venenosos (mesmo com os mesmos sendo proibidos pela Convenção de Genebra de 1919) e de bombas incendiárias. Os italianos também realizaram brutais bombardeios aéreos sobre a população civil etíope, que contaram com a participação de Vittorio e Bruno Mussolini, filhos do ‘Duce’ que pilotaram aviões durante o conflito. Estas informações foram retiradas do livro ‘O Papa e Mussolini’, de David I. Kertzer, pág. 251, Editora Intrínseca, 2017.
Tigna arma uma verdadeira festa dentro da sua casa, a fim de impedir que Hans descubra que Joe está escondido na mesma.
Obs3: Os bombardeios aéreos italianos, contra a população civil etíope, anteciparam em três anos o que os nazi-fascistas fizeram na ‘Guerra Civil Espanhola’ (1936-1939), como se comprova pelo bombardeio da pequena cidade basca de Guernica, que foi varrida do mapa por aviões alemães e italianos. Faltou apenas um Picasso etíope que retratasse essa violência, tal como aconteceu com Guernica. 

Obs4: Picasso morava em Paris já há muitos anos e quando a cidade se encontrava sob a ocupação alemã (1940-1944) ele se encontrou com um oficial alemão no Louvre. Este perguntou para Picasso se este é que havia feito ‘Guernica’, ao que o genial pintor espanhol retrucou ‘Não. Foram vocês’. 

Tigna também procura se informar com o secretário político fascista a respeito de alguma operação que se destine a descobrir a presença de soldados inimigos no povoado e consegue esconder do mesmo a presença de Ronald e Joe em sua propriedade. 

Enquanto isso, a jovem Silvia passa a se sentir atraída por Ronald, soldado americano que fala italiano e que é muito simpático ao tratar com a mesma. Ela passa a cuidar melhor da sua aparência, a fim de chamar a atenção de Ronald, o que vai gerar o ciúme de Franco, o italiano desertor que brinca com ela o tempo inteiro.
Joe e Hans saem pelas ruas do povoado, totalmente bêbados, e começam a gritar que 'a guerra terminou'.
Tudo estava indo bem, até que o soldado da SS alemã (Hans) foi até a residência de 
Tigna no momento em que Franco, Ronald e Joe se encontravam no local, jantando. Franco e Ronald escondem-se fora da casa e Joe é colocado em um quarto repleto de garrafas e barris de vinho, o que o levará a se embebedar. 

Hans acaba ficando horas no local, bebendo muito vinho, contando a história da participação da Alemanha na Segunda Guerra Mundial, desde a invasão da Polônia, que ocorreu em 01/09/1939. Enquanto isso, Joe começa a fazer cada vez mais barulho no quarto em que foi escondido. 

Para evitar que Hans descobrisse a presença de Joe em sua casa, Tigna e os demais começam a beber junto com o soldado da SS, a cantar e a dançar. Mas o forte Joe acaba por quebrar a porta do quarto e fica ‘cara a cara’ com o nazista Hans. 

Porém, em vez de se enfrentarem, ambos começam a rir, a beber e a se abraçar. Eles ficam tão eufóricos que saem pelo povoado, inteiramente bêbados, no meio da noite, fazendo um barulho infernal, gritando que ‘a guerra terminou’. 
Tigna, o Padre, o Médico socialista e Franco decidem o que irão fazer quando Hans, o soldado da SS, acordar. 
Toda a população do povoado acaba acordando no meio da noite e fica eufórica, acreditando realmente que a guerra havia terminado. Os moradores saem de suas casas e começam a desfilar, a festejar, tocar música, saquear o armazém da SS, quando ouvem barulhos de explosões. E um deles pergunta se a guerra realmente havia terminado. 

Quando ficam sabendo que não, começam a devolver o que haviam roubado e voltam para as suas casas. Enquanto isso, Joe subiu em um pequeno cavalo e foi embora do povoado e o soldado da SS (Hans) desmaia no meio da rua, de tão bêbado que se encontrava.

Tigna e a sua família se preocupam com o iria acontecer depois que Hans acordasse. 

Temendo que ele se lembrasse de tudo o que havia ocorrido e informasse ao comando da SS, o pequeno camponês e seus familiares decidem ir embora do povoado e se esconder no meio do bosque. 
População do povoado abandonou o mesmo, esperando para saber como o soldado da SS iria reagir depois que acordasse da farra da noite anterior. 
E toda a população do povoado faz a mesma coisa. Apenas o Padre permaneceu no local, a fim de conversar com Hans quando ele acordasse. Se ele se lembrasse do que havia acontecido, o Padre tocaria o sino de um jeito (a morte), mas se ele não se lembrasse de nada, ele tocaria o sino de outra maneira (a glória). 

Quando acorda, Hans não se lembra de coisa alguma, mas depois ele consegue relembrar tudo o que havia acontecido, inclusive da presença de um soldado negro (Joe) na casa de Tigna. Por isso ele vai até a casa deste, mas antes recebe um telefonema avisando que os soldados alemães devem se retirar da região, pois 'os americanos' estão prestes a chegar ao local. 

Tigna permite que Hans pegue algumas roupas para se disfarçar de civil e, assim, poder voltar para a Alemanha, sonhando em se juntar à sua família e em retomar a sua vida. Mas aparece um grupo de soldados alemães e um destes executa Hans e atira em Tigna, que fica mortalmente ferido e acaba falecendo pouco tempo depois, quando estava em sua cama, acompanhado dos membros de sua família, de Franco, Ronald e Joe. 

Joe retorna ao povoado, levando um grupo de soldados americanos com ele e que são recebidos com festa pelos moradores. 
O generoso camponês Tigna falece e Corinna chora. 
Joe retorna ao povoado, levando um grupo de soldados americanos com ele e que são recebidos com festa pelos moradores. 

Ronald havia pensado em ficar junto com Silvia, pois ambos se sentiram atraídos, mas mudou de ideia depois que Tigna contou a história da mãe de Silvia, que foi embora com um jovem e que acabou sendo abandonado pelo mesmo e que acabou morrendo em função disso. 

Assim, Ronald e Joe vão embora e os moradores do povoado continuam a tocar as suas vidas, em paz. 

Fim.
Franco, Silvia e Corinna se despedem de Joe e Ronald.

Informações Adicionais:

Título: ‘Vivere in Pace’ (Viver em Paz);
Diretor: Luigi Zampa;
Roteiro: Piero Tellini, Suso Cecchi D’Amico, Luigi Zampa, Aldo Fabrizi;
País de Produção: Itália; Ano de Produção: 1947;
Gênero: Comédia; Duração: 87 minutos; 
Música: Nino Rota; Fotografia: Carlo Montuori; 
Elenco: Aldo Fabrizi (Tigna); Gar Moore (Ronald); Mirella Monti (Silvia); John Kitzmiller (Joe); Heinrich Bode (Hans); Ave Ninchi (Corinna); Ernesto Almirante (O Avô); Nando Bruno (Secretário Político); Aldo Silvani (Médico Socialista); Gino Cavalieri (Padre); Piero Palermini (Franco); Franco Serpilli (Citto); Arnoldo Foà (narrador).
Prêmios: 
Melhor Roteiro no Festival de Locarno de 1947. 
Melhor Filme Estrangeiro – Críticos de Cinema de Nova York (1947). 

Vídeo - Trecho do Filme:

Nenhum comentário: