quarta-feira, 29 de abril de 2015

'Fringe' - Comentando o episódio 'Unearthed' (2X11) - Marcos Doniseti!

'Fringe' - Comentando o episódio 'Unearthed' (2X11) - Marcos Doniseti!
Lisa Donovan, em 'Fringe'. Ao ver essa cena, você se lembrou de 'O Exorcista'? Pois é, eu também. 
Obs1: Este episódio foi originalmente filmado no final da primeira temporada e é em função disso que o Charlie Francis aparece no mesmo, já que o personagem morreu no primeiro episódio da segunda temporada ('A New Day in the Old Town'). E o ator que o interpretava, Kirk Acevedo, apareceu até o quarto episódio do segundo ano, mas como um shapeshifter. No último episódio em que Acevedo apareceu ('Momentum Deferred' - 2X04) , o shapeshifter que havia assumido a identidade de Charlie foi morto pela Olívia. De fato, 'Unearthed' deveria ter sido exibido logo após 'Midnight' (1X18). 

'Earthling' é o único episódio da história de 'Fringe' a tratar da questão alienígena, correto? Sim. E 'Unearthed' é o único episódio da história do seriado a tratar de um fenômeno paranormal. 

Estes são episódios que, portanto, talvez se encaixassem melhor em 'X-Files' do que em 'Fringe', em função dos temas desenvolvidos, embora no caso de 'Earthling' a maneira como a história se desenrolou acabou se entrosando bem com o seriado. 

Mas em como em 'Earthling' a trama estava intimamente relacionada ao passado de Broyles, o episódio não fica muito parecido com uma história de 'X-Files', embora o final seja dúbio e inconcluso, tal como eram os finais dos episódios da série criada por Chris Carter.

Mas este não é, definitivamente, o caso de 'Unearthed', que realmente parece ser um episódio de 'X-Files' inserido dentro de 'Fringe'. Inclusive, ele pode ser comparado a vários episódios da série de Mulder e Scully em que uma história muito parecida foi exibida. Eu poderia citar, em especial, aos episódios 'Lazarus' (1X14 - 'Dupla Identidade') e 'Born Again' (1X21 - 'Volta do Além'). 

Bem, o episódio começa com uma jovem (Lisa Donovan) recebendo a extrema-unção ao lado da sua mãe, que chora copiosamente em função do fato de que a morte da filha é inevitável. Depois, a jovem é levada para que os seus órgãos sejam retirados, para fim de doação, mas quando menos se espera ela começa a gritar '68339alfa-eco-358'. 

Estranho e inexplicável é pouco para definir isso. 

Broyles informa Walter, Peter e Olívia a respeito do caso de Lisa, enquanto estão se encaminhando para o quarto em que Lisa está internada, no Hospital Geral de Boston. Ele diz que ela sofreu um aneurisma cerebral e também teve morte cerebral, sendo mantida viva por aparelhos, até que a mãe decidiu desligá-los. Lisa ficou uma semana em coma, até que despertou repentinamente falando 'números aleatórios'. 

Mas o comandante Turlough, da Marinha dos EUA, que informa que os números citados por Lisa não são aleatórios. De fato, é um código alfanumérico que foi identificado pelo cirurgião que iria retirar os órgãos de Lisa, pois o mesmo já havia trabalhado em um porta-aviões e percebeu que uma parte do número citado por Lisa era de identificação do pessoal da Marinha. 

Segundo Turlough, a primeira parte da sequência numérica é o número de identidade de um suboficial chamado Andrew Rusk, enquanto que a segunda parte é um código de lançamento de mísseis balísticos a bordo de um submarino nuclear no qual Rusk servia (o U.S.S. Gloucester). E como ficamos sabendo no episódio 'Piloto', Olívia foi promotora da Marinha antes de ir trabalhar para o FBI. Então, ela conhece muito bem essa realidade. 
O Comandante Turlough, da Marinha, ajuda Olívia a resolver o caso. É bom não esquecer que ela foi Promotora da Marinha dos EUA antes de entrar para o FBI. 
Turlough diz que tentou falar com Rusk, para interrogá-lo, a fim de descobrir se ele revelou esses códigos, o que configuraria um caso de traição, mas ele se encontra desaparecido, segundo a sua esposa. Peter pergunta se há alguma conexão entre Rusk e Lisa, mas Turlough diz que nunca ocorreu um contato entre eles. 

Olívia mostra uma foto de Rusk para Lisa, que diz que nunca o viu antes, e pergunta se ela sabe o que são os números que citou, mas a jovem diz que não se lembra sequer de ter falado os números. 

Peter brinca com Lisa a respeito dos balões que estão sobre a cama dela e a jovem retribui a brincadeira. Isso parece não ter importância neste momento, mas na sequência do episódio veremos que não é bem assim. 

Quando Olívia fala o nome Andrew Rusk para Lisa, esta começa a falar em russo, mas a mãe (Maureen) diz que a filha não sabe falar esta língua. E a mãe pede que todos se retirem, pois Lisa precisa descansar. Turlough diz que Rusk é fluente em russo e Peter pergunta o que significa 'estrelinha', pois ele entendeu essa parte que Lisa falou na língua de Tolstoi. 

Assim, ficamos sabendo que Peter domina a língua russa, dizendo que namorou uma jovem russa, embora tenha aprendido muitos palavrões. Na série, ele já falou em árabe, cantonês e, agora, em russo. 

Olívia percebe que Walter sumiu e Peter o encontra junto à cama de uma senhora idosa em coma. 

Walter diz acreditar que está se comunicando com a mulher e fala para Peter que ninguém entende, realmente, a natureza da consciência humana, dizendo ainda que já leu relatos de pacientes que estiveram em coma e que retornaram dizendo que seus espíritos estiveram em lugares remotos e que presenciaram acontecimentos dos quais não tinham como ter tido conhecimento. E daí Walter diz que talvez fosse isso que tivesse acontecido com Lisa, o que explicaria como ela teria tido acesso ao código alfanumérico secreto da Marinha dos EUA e começou a falar russo. 


As cores dos balões, verde e vermelho, representam a dualidade da personalidade de Lisa Donovan que carrega duas consciências simultâneas em sua mente, tal como aconteceu com Olívia, quando esta tinha as memórias de John Scott no início do seriado. E isso voltará a acontecer com ela na 3a. temporada. 
A mãe de Lisa diz para Olívia que teve uma briga com a filha quando ela teve o colapso, porque a filha queria dirigir o carro e ela não permitiu. Depois, telefonaram da escola avisando que a filha estava mal e quando ela chegou ao hospital, a mesma já se encontrava em coma. Ela temia que nunca mais pudesse dizer à filha novamente o quanto a ama e que Deus a devolveu para ela. 

Olívia pede que Maureen permita que Walter possa examinar Lisa, mas a mãe não gosta da ideia, dizendo que não há mais nada que ela possa lhe contar. Porém, Lisa tem uma visão de Rusk no banheiro do hospital, deixando-a muito assustada. Olívia conta para Charlie que procuraram pelo hospital inteiro, mas que Rusk não foi encontrado e que a Maureen não permite mais que eles tenham acesso à filha, pois acredita que isso a leva a ter alucinações. 

A esposa de Andrew, Teresa Rusk, vai até o FBI e é lhe perguntam se ela conhece Lisa, mas ela diz que não. Olívia esclarece que Lisa tem informações que somente Andrew tinha acesso (códigos militares secretos, diz Charlie). Teresa diz que 'minha estrela' é a maneira como Andrew se referia à ela, dizendo ainda que não entende como Lisa poderia saber disso. 

Walter diz que o aneurisma de Lisa ocorreu no lobo esquerdo e Astrid fala que essa parte do cérebro é a responsável pela linguagem. E depois começa a exibir um filme que lembra em tudo a série 'Lost' e os filmes sobre a 'Dharma' e no qual ele fala a respeito de um experimento feito antigamente com manipulação craniana a fim de aumentar a capacidade psíquica de alguém, aplicando estímulos elétricos em cada parte do cérebro, medindo a resposta psíquica aos mesmos. 

Obs2: Quando foi questionado pelo Peter a respeito das cinco primeiras cobaias, Walter diz que tudo foi resolvido pela Universidade de maneira extrajudicial, dando a entender que foi paga uma vultosa indenização para as mesmas, até porque elas não tinham mais condições sequer de voltar a trabalhar devido ao experimento a que foram submetidas. E a maneira como Walter diz isso é hilária.

Walter diz que o seu experimento demonstrou que a manipulação da área de Broca teve efeito intenso na capacidade de se criar laços psíquicos. Daí, Peter pergunta se Walter está dizendo que o aneurisma de Lisa a teria transformado em uma médium e ele diz que isso é possível. Mas Peter indaga porque Andrew Rusk teria sido canalizado por Lisa? Como o Walter não sabe, ele diz 'Boa pergunta'.

Depois, Olívia pergunta a Walter se ele teria como provar que Lisa é uma médium, mas ele responde que somente poderia fazer isso se tivesse como examinar a jovem, o que a mãe não permite. E Astrid faz uma ironia, dizendo que isso basta assistir aos 'Vídeos Mais Assustadores de Walter' para se entender tal atitude de Maureen.

Obs3: Na sequência, vemos uma citação bíblica, que é 'Busquei o Senhor e Ele me atendeu' (Salmo 34:4) e o número 8 em destaque, algo que aconteceu muito em 'Fringe' e que está sempre relacionado a Olívia. 
Nesta cena, vemos uma citação bíblica, que é 'Busquei o Senhor e Ele me atendeu' (Salmo 34:4). E o número 8 que é exibido em destaque sempre apareceu na série, sendo que isso está, de alguma maneira, relacionado a Olívia. 
Olívia procura por Lisa na Igreja que esta frequenta, mas a mãe não gosta visita. Porém, Olívia diz que ela tem uma explicação para o que aconteceu com Lisa, dizendo que Rusk pode estar usando Lisa para se comunicar psiquicamente, existindo uma comunicação entre ambos (Andrew e Lisa). A mãe questiona Olívia, sobre se esta é uma pessoa religiosa e a agente do FBI reconhece que não é, mas Maureen diz que está tudo encerrado e que será melhor se a filha de tudo aquilo. Mas Olívia é persistente e deixa seu cartão para Maureen, caso esta deseje entrar em contato. 

Peter lê o 'Livro Tibetano dos Mortos', a respeito de ligações psíquicas, e diz que no mesmo há um trecho onde é dito que quem passa por uma experiência de quase-morte pode conseguir conversar com aqueles que já morreram. Questionado por Olívia, Peter diz que não acredita que foi Deus quem fez Lisa voltar a viver e Olívia faz uma piada, dizendo que está esperando para ver se um raio o atinge. 

Obs4: Olha a Olívia se soltando um pouco mais... Ela que sempre foi tão séria, agora até faz umas piadas de vez em quando, como aconteceu nesta cena. 

Peter diz que é adepto de um ceticismo saudável e que tem ver para acreditar em algum fenômeno do tipo que Lisa estaria vivenciando, ou seja, de estabelecer uma conexão psíquica com alguém que já morreu. E quanto questionada por Peter se acreditava em Deus, Olívia responde que a mãe dela acreditava, mas que as orações que fazia não a impediam de ser aterrorizada por seu padrasto.

Obs5: Este diálogo mostra, a meu ver, que o passado de ambos, Peter e Olívia, os transformou em pessoas céticas, que têm dificuldades para acreditar em um mundo espiritual ou mesmo em Deus. Afinal, Peter ficou anos vivendo de maneira errática, enquanto que o seu pai, Walter, ficou 17 anos internado em uma instituição psiquiátrica e a sua mãe (Elizabeth) cometeu suicídio. E Olívia viu a sua mãe ser tratada brutalmente pelo seu padrasto, afirmando que a fé dela a colocou no caminho do sofrimento e teme que Maureen faça a mesma coisa com Lisa. Logo, Olívia tem uma motivação pessoal para tentar resolver o caso de uma vez por todas, ajudando Lisa de qualquer maneira, mesmo que isso seja contra a vontade de Maureen. E tudo indica que, provavelmente, o padrasto de Olívia também não a tratou muito bem (ver episódio 'The Cure' - 1X06). 

Olívia recebe um telefonema de Lisa, que diz que continua tendo visões de Andrew Rusk, dizendo que está em um depósito de carros abandonados. Peter e Olívia vão até o local e a jovem diz que Rusk estava ali e que, em sua visão, há um outro homem, com uma arma, e que o mesmo matou Rusk. Peter encontra uma cápsula de uma arma 9 mm. Peter demonstra ter uma certa proximidade com Lisa. Olívia avisa a mãe de Lisa, que vai até o local. E Charlie leva Olívia até o carro onde o corpo de Andrew Rusk se encontrava, escondido no porta-malas. Imediatamente, Lisa começa a ter uma convulsão. 

No hospital de Boston, Olívia diz para Walter e Peter que Rusk foi morto com um tiro na cabeça. E Peter fala que tudo o que Lisa disse se confirmou, porém Olívia diz que Rusk está morto há três dias. E a médica informa a mãe da jovem que as causas das convulsões são desconhecidas, mas que elas não tem ligação com o aneurisma que Lisa sofreu. 

Na sequência, Walter começa a explica que a morte de Rusk e a ressurreição de Lisa aconteceram simultaneamente e que, neste momento, a descarga de energia de Andrew se apossou do corpo da jovem, que voltou a viver, sendo que a energia de Rusk contivesse algumas lembranças e que foram estas que se manifestaram em Lisa, o que explicaria como ela sabia os códigos alfa numéricos secretos da Marinha. 

Mas o Padre, que estava junto com Maureen, não aceita tal explicação de Walter, e discute com este, que se exalta, exigindo a intervenção de Peter para acalmá-lo.

No entanto, a mãe de Lisa está tão desesperada que pergunta a Walter se este, realmente, teria condições de ajudar a sua filha, fazendo com que as lembranças de Rusk desaparecessem da mente de Lisa. Walter diz que poderia ajudá-la, mas que Lisa teria de ser transferida ao seu laboratório. 
A ficha de Andrew Rusk não dizia nada a respeito de doença alguma que ele teria, mas nem por isso a sua saúde seria perfeita. 
Porém, depois, ao ser questionado por Peter e Olívia, Walter diz que falou que poderia ajudar Lisa porque foi desafiada pelo Padre mas que, de fato, não sabe o que fazer com a jovem e também desconhece porque Lisa estaria doente. Mas Olívia fala algo interessante para Peter, dizendo que a doença de Lisa seria efeito de um problema de saúde que Rusk teria e que, por isso, a jovem sentiria os sintomas e efeitos deste fato. 

Olívia diz viu os arquivos de Rusk, e neles não constava nada sobre doença alguma, mas ela diz que aqueles eram arquivos oficiais, sugerindo que algo estava sendo escondido a respeito disso. Ela diz isso porque já trabalhou na Marinha e sabe como essa funciona. Assim, a sua experiência anterior na Marinha colabora para que ela possa resolver este caso. 

Olívia volta a interrogar Turlough e usa de um truque simples, perguntando porque este não disse que Rusk estava doente. Quando perguntou quem lhe disse isso, Olívia fala que foi ele mesmo, naquele instante. Vendo que ficou sem saída, o oficial da Marinha hesita, mas acaba confirmando que Rusk foi submetido a uma vazamento radioativo a bordo de um submarino nuclear, o 'U.S.S. Gloucester'. Rusk sobreviveu porque recebeu um 'inibido de radiação' experimental e estava de licença médica desde o acidente. 

Daí a Olívia dá uma 'cutucada' em Turlough, dizendo que deseja ter acesso aos 'verdadeiros' registros médicos de Rusk. 

Obs6: A Marinha dos EUA teve dois navios com este nome, 'U.S.S, Gloucester', embora nenhum deles tenha sido um submarino nuclear. Um dos navios participou da Guerra contra a Espanha, em 1898. E um segundo navio foi usado na época da Segunda Guerra Mundial, chegando a ser transferido à URSS como parte do programa de ajuda ao país de Lenin para que o mesmo pudesse derrotar a Alemanha Nazista. Depois da Guerra, ele foi devolvido aos EUA. 

Walter recebe os registros médicos de Andrew Rusk e fica sabendo que ele sofreu envenenamento por radiação, o que gerou as convulsões em Lisa. O tratamento que Rusk teve é que impediu que a energia dele se dispersasse, permitindo que ele 'habitasse' Lisa. E em função disso Walter diz que precisa de mais drogas, o que deixa Maureen preocupada, é claro, e mesmo a Astrid faz uma expressão de quem pensa 'xiii... deu tudo errado.. .agora é que essa mulher vai embora rapidinho daqui e não volta nunca mais'.

Mas Walter esclarece que elas, as drogas, serão usadas apenas para acalmar a consciência e relaxar o cérebro de Lisa, permitindo que a energia mental e as lembranças de Rusk deixem a mente da jovem. E Walter ainda diz que pela idade de Lisa (17 anos), esta deve ter experimentado drogas mais fortes, o que deixa Maureen ainda mais perplexa, já que ela e a filha são do tipo religiosas e frequentam a Igreja semanalmente. 

Somente o desespero em ver a filha naquela situação é que impediu que a mãe de Lisa saísse correndo depois de ouvir tudo isso de Walter. É a Maureen tendo contato, pela primeira vez, é claro, com os métodos poucos ortodoxos de tratamento que são usados por Walter. 
Quando viu essa cena você se lembrou de 'Lost', é claro. 
Lisa conta para Peter que desde que estes fatos começaram a acontecer com ela, seus amigos na escola e na Igreja passaram a vê-la como sendo algum tipo de 'aberração'. Mas Peter brinca, dizendo que são todos meio que aberrações naquele laboratório (referindo-se a ele, Olívia e Walter, sendo que Astrid é a mais normal de todas). 

E de certa maneira são mesmo: Peter tem uma origem desconhecida, que será esclarecida mais adiante no seriado, Walter ficou 17 anos internado em um hospital psiquiátrico e Olívia foi submetida, quando criança, a testes com o cortexiphan que permitiu que ela desenvolvesse determinados poderes. 

Lisa também pergunta a Peter se ele e Olívia namoram, mas ele diz que não, falando que ela é apenas uma amiga e que carrega uma arma. 

Olívia pergunta a Walter sobre o fato de que ele acredita ser possível extrair os pensamentos de Rusk da mente de Lisa e, daí, sugere que talvez isso possa ser usado para saber como foram os últimos momentos de vida de Rusk. 

Na hora em que o experimento começa, Lisa se sente insegura, mas Peter consegue acalmá-la. Walter orienta Lisa e Olívia pede que ela pense em Rusk. Daí, Rusk começa a falar, enquanto Lisa faz expressões que lembram a garota do filme 'O Exorcista'. E Walter diz que, na verdade, toda a consciência de Rusl foi transferida para a mente de Lisa e que a consciência desta está suprimida, adormecida em sua própria mente. 

Maureen pede a Walter que pare o experimento, mas ele diz que isso não é possível, pois as drogas fizeram efeito e tem que deixar o mesmo continuar. Maureen diz que não pode perdê-la novamente e Walter diz que entende (realmente, isso é verdade, devido ao que aconteceu com Peter) e pede que ela deixe fazer o seu trabalho, afirmando que Lisa ficará bem. Quando a mãe sai do laboratório, Olívia pergunta a Walter se há como falar com Rusk e, ainda, a convencê-lo a sair da voluntariamente da mente de Lisa. 

Olívia pergunta a 'Andrew', que está na mente de Lisa, quem foi a pessoa que o matou. Ele conta a história de como isso aconteceu, falando que foi morto por um homem cujo nome ele desconhece, mas fala sobre o sangue e o braço esquerdo do assassino. Olívia decide telefonar para o hospital a fim de perguntar se apareceu por lá um homem com o braço esquerdo ferido. 


No laboratório de Walter, Lisa é submetida a um experimento que procura eliminar a consciência de Rusk de sua mente. 
Depois disso, a consciência de Lisa volta a se manifestar. E Olivia recebe de Charlie a informação de que o suspeito de matar Rusk chama-se Jake Selleg e que este também era da Marinha, treinava com o Seal Team 6 (grupo de elite anti-terrorista) e que o mesmo trabalha em uma academia de boxe em Dorchester. Olívia e Charlie decidem ir até o local. 

Obs7: O grupo de contra-terrorismo 'Seal Team 6' realmente existe e é formado pela elite da elite militar dos EUA, tendo sido o responsável por matar Bin Laden (ver link abaixo). 

Quando chegam à academia de boxe e se identificam como agentes do FBI, Jake percebe o que está acontecendo e sai correndo, mas Charlie vai atrás e consegue alcançá-lo e prendê-lo. 

Enquanto isso, no laboratório, Lisa observa o corpo de Rusk, Peter chega ao local e diz que ela deve ir embora, mas Walter diz ao filho que a tomografia da jovem mostra que Rusk ainda é o padrão dominante no cérebro dela. E quando a mãe dela chega ao laboratório, ela (ou melhor, Rusk) já não estava mais lá. 

Quando era interrogado por Charlie e Olívia, Jake diz que nunca matou ninguém, mas que Rusk mereceu morrer pelo que ele fez com a esposa, Teresa. 

Lisa/Rusk chega à sua residência, enquanto Jake fala que Rusk agredia a esposa,chegando a quebrar o braço deste e confessa que foi Teresa quem lhe pediu para matar o marido, chegando a dizer isso para Andrew um pouco antes de matá-lo. Charlie pergunta a Olívia porque Rusk não disse isso (quando estava na mente de Lisa, é claro), quando Peter telefona para avisar que Andrew ainda controla Lisa e que esta sumiu. Daí, Olívia conclui, corretamente, que Lisa/Rusk foi atrás da esposa, Teresa, a fim de matar a mesma. 

Quando a esposa de Rusk chega em sua casa, encontra Lisa e estranha o fato, perguntando o que 'ela' está fazendo por lá. Mas Lisa/Rusk responde em russo, falando alguma palavra de baixo calão, e deixa Teresa surpresa, até que esta percebe que a 'garota' é Lisa, mas na verdade é Rusk quem está no controle da mente da jovem. Teresa fala que tem uma arma, mas 'Rusk' a mostra, dizendo que esta é a arma que ele deu para ela, da Marinha. Somente depois disso é que Teresa percebe que está falando com Rusk.

Obs8: A atuação da jovem atriz (Alice Kremelberg) que interpreta Lisa quando se faz passar por Rusk é muito convincente, com um tom de voz que chega a ser impressionante, mesmo. 

Lisa espalha um líquido inflamável na residência de Teresa, deixando-a amarrada no chão, e ameaça colocar fogo em tudo. Peter chega ao local neste exato momento e Rusk/Lisa aponta a arma para ele. Mas Charlie chega a tempo de impedir que Lisa matasse Peter e Teresa. Quando saia do local, Lisa pergunta a Peter o que havia acontecido, pois não se lembrava de nada, é claro, mas ele diz que contará tudo depois. Olívia avisa Lisa que ela será levada ao hospital e, posteriormente, ao laboratório, para se despedir dela. 
Rusk/Lisa aponta a arma para Peter, mas este ignora a presença de Rusk na mente dela e começa a conversar com Lisa, deixando Rusk confuso. Foi o tempo necessário para que Chalie chegasse a tempo de salvá-lo.
Olívia pergunta a Peter como este sabia que ao conversar com Lisa isso funcionaria e ele responde que o Livro Tibetano dos Mortos diz que a consciência mais profunda está sempre presente e que ela jamais deixa o corpo, mesmo na morte. 

Walter analisa o resultado nova tomografia de Lisa e constata que Rusk se foi e que Lisa é a sua única 'proprietária' de sua mente novamente, mas a mãe de Lisa, obviamente, ainda tem dúvidas a respeito disso e pergunta como eles podem ter certeza de que Rusk realmente se foi. Daí, Walter cita uma passagem bíblica, em Latim, de Isaías 7:9, que diz "A menos que creias, não entenderás', e fala que mesmo sendo um cientista ele precisa ter Fé. Maureen diz a Walter que deseja que Deus o proteja, bem como 'aos seus'. Walter fica emocionado e agradece por isso, retribuindo o que ela disse. 

Peter diz à Lisa que é hora de ir para casa e se despede de Peter, com quem teve um bom relacionamento. Mas antes de ir embora ela dá um sábio conselho à Olívia, dizendo que fará 18 anos dentro de um ano e que a agente do FBI não deve esperar muito para agir, fazendo uma clara referência ao relacionamento de Olívia com Peter., o que leva Olívia a sorrir, o que não é muito comum no seriado.  

Olívia diz para Walter e Peter que a Marinha não aceitou a solicitação para que pudessem investigar o U.S.S. Gloucester, submarino nuclear, Peter não fica surpreso com isso e Walter fala que os colegas de Rusk não devem se preocupar com as aventuras post-mortem deste, pois estas seriam a exceção, não a regra. E completa dizendo que isso não for verdade, então ele entrará para o ramo de Exorcismos. 

Essa foi boa, Walter... 

E Peter diz que não vê a hora de que o corpo de Rusk seja levado embora do laboratório, o que é feito imediatamente. 

Mas na sequência vemos um acidente de carro e o motorista já é encontrado morto quando, repentinamente, ele desperta e começa a falar russo. 

Como se percebe, Rusk voltou para terminar o trabalho que não conseguiu, ou seja, matar a sua esposa, Teresa. 

Fim.

Obs9: Esse foi um final bem no estilo de 'X-Files', mesmo, pois foi totalmente inconclusivo.
No episódio é dito que Lisa tem 17 anos, mas na sua ficha mostra que ela nasceu em Novembro de 1982. Logo, ela deveria ter 27 anos, já que a história do episódio se passa em Janeiro de 2010. 

Conclusão:

Seria este um episódio subestimado de 'Fringe', devido ao fato de envolver, claramente, um fenômeno paranormal, ao estilo de 'X-Files', e de não ser um típico 'evento Fringe', como geralmente acontece quando temos episódios cujas histórias começam e terminam nele mesmo?

Talvez. 

Senão, vejamos: O episódio trata de um fenômeno, que é o compartilhamento de consciências dentro de uma mesma mente, que já havia acontecido anteriormente com a Olívia, na época em que ela se conectou mentalmente com seu ex-parceiro, John Scott, e também de fato que estarão relacionados a episódios da terceira temporada do seriado e nos quais ela, Olívia, novamente compartilhou a sua mente com outra pessoa, que foi William Bell (nos episódios 'Stowaway' - 3X17 e 'LSD' - 3X19).

E nos três casos a pessoa que compartilhou a consciência (Olívia com Scott e Bell e Lisa com Rusk) fez isso com outra pessoa que já havia morrido. Então, as tramas destes episódios estão conectadas, de alguma maneira, sim, pois tratam de um fenômeno semelhante. 

Então, quando Bell ocupa a mente de Olívia, temporariamente, na terceira temporada do seriado, já tínhamos tido precedentes em 'Fringe', tanto com a própria Olívia, como com outra personagem (Lisa). 

Portanto, embora a história de 'Unearthed' tenha começo, meio e fim, ele está relacionado a outros episódios importantes do seriado, sim.

O episódio também tem várias referências bíblicas (Salmo 34;4; Isaías 7:9) e a duas séries, em especial, que são 'Lost' (cena do filme no laboratório de Walter) e a 'X-Files', em especial aos episódios 'Lazarus' (1X14 - 'Dupla Identidade') e 'Born Again' (1X21 - 'Volta do Além'). E é claro que temos que lembrar do filme 'O Exorcista' quando comentamos a respeito deste episódio. Aliás, no final do episódio o Walter chegou até a brincar, dizendo que se o que Rusk fez continuasse acontecendo, ele mudaria para o ramo de Exorcismos...

Além disso, o episódio também mostra que Walter não pensa mais apenas como sendo apenas um cientista, tal como acontecia com o 'Old Walter', pré-retirada do lobo temporal. Agora, o cientista Walter também procura ter Fé e faz citações bíblicas em várias tramas do seriado, como aconteceu neste, quando citou Isaías. 

Aliás, vimos uma cena do 'Old Walter' em ação, na cena do filme em que ele fez um experimento com 6 cobaias, sendo que as 5 primeiras ficaram num estado tão lastimável que sequer teriam condições de voltar a trabalhar, tal o estrago que o Walter fez nas mesmas. 

De certa maneira, esse foi o verdadeiro Walter, aquele que existiu por mais tempo, mas que pouco apareceu no seriado, a não ser nestes flashbacks, como o que vimos neste episódio. Este foi o Walter que tinha 'Complexo de Deus' e que abriu um Portal entre os Universos, que construiu máquinas capazes de teletransportar uma pessoa e de promover viagens no Tempo. 

E a discussão que Walter travou com o Padre Priest foi muito boa. Gostei da reação que Walter causou em Priest quando falou sobre a ressurreição de Lisa. E no final do debate ele dá uma espécie de xeque-mate no Padre quando diz que a própria Bíblia relata casos de Exorcismos. 


Olha o Observer aí... 
E no episódio vemos, também, que Lisa notou que existe, sim, um interesse mútuo entre Peter e Olívia, mas que ambos evitam um envolvimento mais sério e chega a perguntar sobre isso para Peter e a brincar com Olívia a esse respeito no final do episódio. Garota esperta, essa Lisa. Gostei dela. 

No entanto, é muito estranho o fato de que a ficha de Lisa informe que ela nasceu em Novembro de 1982, mas que ela seja uma adolescente de apenas 17 anos. Como a trama se passa em 2010, então a idade certa dela seria 27 anos. Qual a razão disso, afinal? Duvido que tenha sido erro de produção, pois 'Fringe' é uma série onde todos os detalhes são muito bem pensados. E na ficha dela também temos a referência aos 'Salmos 69', cuja íntegra eu reproduzo abaixo. 

E no final do episódio também vimos que a leitura que Peter fez do Livro Tibetano dos Mortos não foi um mero passatempo, pois usou o que aprendeu com o mesmo para impedir que Rusk o matasse, bem como à Teresa e a própria Lisa. Aliás, o que Peter disse nesta cena com Olívia pode ajudar a entender o retorno dele à trama da série no início da quarta temporada. 

Enfim, eu gostei de 'Unearthed', sim. Até porque ele foi um dos episódios de 'Fringe' que mais gerou frases e diálogos interessantes, as quais eu também reproduzo mais abaixo. 

Peter: A leitura do Livro Tibetano dos Mortos o ajudou a resolver o caso no final. 

Frases e Diálogos:

1) Olívia: Como códigos secretos vão parar nas mãos de uma garota de 17 anos?

2) Turlough: Pelo que sabemos, nunca houve contato entre Donovan e Rusk.
Walter: Suponho que é aí que entramos. 

3) Walter: Ninguém entende realmente a natureza da consciência humana. 

4) Peter: Está dizendo que acha que Lisa Donovam morreu por uns momentos e seu espírito deixou seu corpo e flutuou sobre Andrew Rusk, enquanto ele dizia a alguém o código de lançamento? 
Walter: Flutuou sobre é um tanto específico, mas talvez algo assim. É uma teoria. 
Peter: Certamente.

5) Peter: Pelo menos lhe renderam bonitos balões. 
Lisa: Creio que não acharam com os dizeres 'bem-vinda do mundo dos mortos'.
Peter: Imagino que só são feitos sob encomenda. 

6) Walter (no filme): Alô, sou o Dr. Walter Bishop; Objeto de experimento número 6.
Peter: O que houve com os objetos de número 1 a 5?
Walter: Creio que a Universidade resolveu tudo extrajudicialmente. Provavelmente jamais terão de voltar a trabalhar, não que pudessem. 

7) Olívia: Walter, você pode provar o que está dizendo? Sobre ela ser médium?
Walter: Talvez, se eu examinasse a garota, mas a mãe não permite.
Astrid: Depois de ver 'Os vídeos mais assustadores de Walter', quem não a entenderia?

8) Peter: Todos são livres para acreditar no que quiserem. A mãe de Lisa certamente é. Mas até ver com meus próprios olhos, apostarei minhas fichas no ceticismo saudável. 


9) Walter: Desculpe-me. Mas a que horas aconteceu a ressurreição de sua filha?
Padre: Ressurreição???
Maureen: Pouco depois das cinco da manhã.
Walter: Exatamente como eu suspeitava. 
Olívia: Walter, o que está pensando?
Walter: Creio que a morte de Rusk e o renascimentro de Lisa ocorreram simultaneamente. Na verdade, foi a súbita descarga de energia dele que tomou o corpo da menina, trazendo-a de volta à vida. 
Padre: Isso é um absurdo. 
Walter: Talvez seja. Mas deixe-me acalentar um pouco as minhas fantasias. Elas geralmente levam à verdade. É possível que a energia de Rusk contivesse algumas lembranças. E foram essas lembranças que se manifestaram nela. 
Padre: Está sugerindo que Lisa esteja possuída?
Walter: Não. Mas já que falou nisso, não seria surpresa se numerosas possessões fossem, de fato, casos de um fenômeno que só agora estamos descobrindo.
Padre: Não creio que esteja acontecendo. 
Walter: Não, porque a Igreja não aprova exorcismos...
Peter: Walter.
Padre: Não. São meras superstições. 
Walter: Há exemplos da expulsão de espíritos na Bíblia, Padre. 

10) Maureen: Pode fazer desaparecer as lembranças? Pode ajudar a minha filha?
Walter: Sua filha teria de ser transferida para o meu laboratório. 
Peter: Tem certeza de que um exorcismo vai funcionar, Walter?
Walter: Não tenho, não. Acho que estou errado. Não posso explicar as convulsões. Acredito que a energia de Rusk reanimou a garota, e que carrega suas lembranças, mas isso não explica porque ela está doente. Fiquei bravo porque aquele homem me desafiou.
Olívia: Walter, a mãe dela irá tirá-la do hospital.
Walter: Não sei o que vou fazer com ela. 


Até a Lisa percebeu que eles estão muito interessados um no outro, mas que nada de mais sério acontece entre eles. E Lisa avisa a Olívia: Não perca mais tempo...
11) Olívia: Vou precisar de seus registros médicos. Os verdadeiros (falando sobre Rusk). 

12) Peter: E foi assim que ele pôde 'habitar' Lisa?
Walter: O que significa que precisamos de mais drogas. 

13) Walter (para Maureen): Além disso, pela idade dela, já deve ter experimentado coisas mais fortes. 

14) Lisa: Desde que isso aconteceu, eles me acham uma aberração.
Peter: Acho que não precisa se preocupar conosco aqui. Somos todos meio aberrações neste laboratório. 

15) Olívia: Como está indo?
Walter: Maravilha. 
Gene: Muuu...
Walter: hahahaha... Gene concorda comigo, não é, Gene? 

16) Walter: Mesmo como cientista às vezes preciso ter fé. 

17) Lisa (para Olívia, sobre Peter): Farei 18 anos em um ano. Não espere muito para agir. 

18) Walter: Creio que as aventuras post mortem do Sr. Rusk sejam uma exceção e não a regra. Se não forem, vou entrar para o ramo de Exorcismos. 

Links:

Saiba mais sobre o Seal Team 6:

http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/membros-do-seal-team-6-que-matou-bin-laden-recebem-cerca-de-us-50-mil-por-ano


Salmo 34:4 - 'Busquei ao Senhor, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores.'.

https://www.bibliaonline.com.br/acf/sl/34



Informações Adicionais:

Audiência: 7.720.000;

Data de Exibição nos EUA: 11/01/2010;

Diretor: Frederick E. O. Toye;

Roteiro: David H. Goodman & Andrew Kreisberg.


Músicas tocadas:

http://www.tunefind.com/show/fringe/season-2/4922


Links:

Comentando o episódio 'Piloto':

http://popeseries.blogspot.com.br/2013/02/fringe-comentando-o-episodio-piloto-por.html

Nenhum comentário: