domingo, 4 de março de 2018

'Arquivo X': 'Rm9sbG93ZXJz' ('Seguidores') mescla repúdio à Intolerância, Inteligência Artificial e Frankenstein! - Marcos Doniseti!

'Arquivo X': 'Rm9sbG93ZXJz' ('Seguidores') mescla repúdio à Intolerância, Inteligência Artificial e Frankenstein! - Marcos Doniseti!
Mulder e Scully em uma cena do ótimo 'Rm9sbG93ZXJz', sétimo episódio da 11a. temporada, que possui pouquíssimos diálogos e no qual temos uma imensa riqueza sonora. 
Nome do episódio: seus vários significados!

Nesta 11a. temporada de 'Arquivo X' tivemos a continuidade da atualização da série, que o criador Chris Carter já havia anunciado que aconteceria antes mesmo de começar a exibição da  10a. temporada, em Janeiro de 2016.


E isso ficou bastante evidente, novamente, neste novo episódio, o ótimo 'Rm9sbG93ZXJz', cujo nome significa 'Seguidores'. O restaurante japonês que aparece no episódio (mas que fica em Washigton) se chama 'Forowa', que também significa 'Seguidores'. 

Aliás, e como acontece com muita frequência em 'Arquivo X', o nome do episódio pode vir a ser interpretado de várias maneiras. 

Primeiro, o nome 'Seguidores' se refere, sem dúvida, à trama do episódio, no qual Mulder e Scully são seguidos, e perseguidos, por drones controlados por uma forma de Inteligência Artificial bastante desenvolvida. 

Também fica claro no episódio que eles são espionados. Algumas das cenas em que eles estão fugindo lembram as do excelente episódio 'TrustNo1' (9X06), no qual Scully era espionada pelo chamado 'Homem das Sombras', interpretado por Terry O'Quinn, que era um supersoldado infiltrado na NSA (Agência de Segurança Nacional). 
O programa artificial que foi colocado no Twitter passou a interagir com as pessoas, aprendendo com as mesmas. E o resultado foi catastrófico, com o programa passando a vomitar um nojento e virulento discurso de ódio, com frases racistas, machistas e fascistas. 

Depois, o nome também pode se referir aos fãs do seriado, que ainda continuam fiéis e seguindo ao mesmo, independente de qualquer coisa. 


E em terceiro lugar, o nome pode se referir às séries de TV que, de uma maneira ou de outra, foram influenciadas por 'Arquivo X', caso de algumas séries recentes ('Stranger Things', por exemplo).  

A trama do episódio!

A trama é bem simples, para falar a verdade, tratando de um tipo de Inteligência Artificial que deseja interagir com os seres humanos, a fim de poder aprender com eles, tanto as coisas boas, quanto as ruins. 

A ideia inicial do episódio veio de um fato que realmente aconteceu, quando a Microsoft, em Março de 2016, colocou um chatbot virtual no Twitter, com o objetivo de fazer com que o mesmo interagisse com as pessoas e aprendesse com elas. Mas o resultado foi catastrófico, pois o chatbot assimilou um discurso de ódio, preconceito e intolerância que foi feito pelas pessoas com as quais interagiu. 
Scully e Mulder, tentam sair do restaurante japonês enquanto são espionados pela Inteligência Artificial. 

Foi um verdadeiro festival de frases como 'Hitler estava certo', 'Odeio feministas... elas devem ir para o inferno', 'temos que começar uma guerra racial', entre outras do mesmo nível, o que deixa claro que o mundo está repleto de pessoas doentes e dementes. Não é de se duvidar que se surgisse um novo Hitler, milhões de pessoas o seguiriam, convictas de que estariam fazendo a coisa certa, tal como aconteceu na Alemanha dos anos 1930. 


Aliás, a julgar pelo que vemos por aí, há vários candidatos a assumir a condição de um 'Novo Hitler'. Não é mesmo, Trump? E um certo político brasileiro, que adora fazer discurso de estímulo à tortura, ditadura, assassinato e estupro, também é um sério candidato a se tornar o Hitler brasileiro. Seu nome sequer precisa ser citado. Todos sabem quem é. 

Obs1: A música que Mulder pede para ouvir no carro é 'Controversy', de Prince, cuja letra prega o fim dos preconceitos e da intolerância, o que tem tudo a ver com o episódio. E a música que acaba tocando, que é 'Teach Your Children' (de Crosby, Still, Nash & Young) diz que as pessoas devem procurar educar corretamente as crianças, para que no futuro elas não saiam por aí defendendo um discurso de ódio. 

Episódio Silencioso não foi novidade para Glen Morgan!

Além disso, o episódio possui uma outra característica importante, que é o fato de que ele possui pouquíssimos diálogos. Em quase 45 minutos de episódio foram faladas apenas cerca de 260 palavras, contra 400 nos dois primeiros minutos do primeiro filme ('Fight the Future', de 1998).

Aliás, aqui vai uma sugestão: Assistam ao episódio usando um fone de ouvido, pois isso irá permitir que percebam a riqueza sonora deste episódio.
Esta é a frase 'A Verdade Está Lá Fora', em Código Base64. 

É bom ressaltar, também, que o diretor do episódio foi o Glen Morgan, que em 1995-1996 criou e produziu, junto com o seu eterno parceiro, James Wong, uma série de Ficção Científica chamada 'Space: Above and Beyond' (que no Brasil ganhou o nome de 'Comando Espacial'), que embora tenha recebido muitos elogios por sua qualidade e caráter inovador, acabou tendo apenas uma temporada. 


E nesta única temporada de 'Comando Espacial' nós tivemos um episódio que também contava com poucos diálogos. Portanto, Glen Morgan não é nenhum novato em produzir ou dirigir um episódio com essa característica. Recentemente, em sua terceira temporada, 'Twin Peaks' também teve o seu episódio silencioso. 

Aliás, uma das roteiristas de 'Rm9sbG93ZXJz' foi Kristen Cloke, que trabalhou como atriz em 'Comando Espacial' e, depois, atuou no episódio 'O Campo Onde Morri' (4X05), da 4a. temporada de 'Arquivo X', no qual interpretou Melissa. Kristen e Glen Morgan são casados desde 1998. Assim, ela declarou, em entrevista recente, que sempre esteve envolvida, de alguma maneira, com 'Arquivo X', pois aconteciam muitas reuniões dos produtores e roteiristas da série em sua residência. 

Kristen Cloke escreveu esse roteiro junto com Shannon Hamblin. Logo, este foi o primeiro episódio de 'Arquivo X' que foi escrito por uma dupla feminina. O episódio anterior, 'Kitten', também foi dirigido por uma mulher, a Carol Banker, amiga pessoal de Gillian Anderson, que reivindicou uma maior participação das mulheres nesta temporada da série e foi atendida. 
O serviço 'Whipz' de transporte individual oferece 4 opções para os passageiros avaliarem a qualidade do serviço: Pobre, Classe Média, Rico e Magnata, o que é uma maneira bem humorada que a série se utilizou para criticar as crescentes desigualdades sociais no mundo inteiro. 

E também é bom ficar claro que um episódio como esse, quase sem diálogos, e no qual Mulder e Scully interagem apenas entre e si com os diferentes aparatos controlados pela IA (com exceção da sequência final, na lanchonete na qual temos funcionários humanos), somente é possível porque a dupla de agentes domina perfeitamente a comunicação não-verbal. 


Depois de tantos anos trabalhando juntos, e com tudo o que aconteceu entre eles durante tantos anos, Mulder e Scully não precisam mais do que alguns gestos e trocas de olhares para saber o que o outro está pensando. Desta maneira, é a famosa e incomparável 'química' entre eles que permite que um episódio como esse possa ser realizado. 

Obs2: Quem é Scott, cujo nome aparece na geladeira de Scully, e que está indo jantar na casa dela? Segundo as roteiristas, ele é o sujeito que cuidou da programação visual do carro e da geladeira no episódio. Ele foi homenageado pelas roteiristas pelo trabalho feito. 

'Arquivo X' e 'Black Mirror'!

Alguns fãs de 'Black Mirror' disseram que 'Arquivo X' estaria copiando a sua série preferida, mas é bom ressaltar que o tema da Inteligência Artificial já havia sido trabalhado na 1a. temporada, com o episódio 'O Fantasma da Máquina' (1X07), que foi produzido em Outubro de 1993, há 25 anos. 

E outros temas relacionados à tecnologia avançada também já haviam aparecido em 'Arquivo X', tais como a Realidade Virtual ('Kill Switch', 5X11; 'First Person Shooter', 7X13), Robótica ('A Guerra das Baratas'', 3X12) e Nanotecnologia ('SR 819', 6X09). 
Cena de 'The Birds' (Os Pássaros), filme de 1963 de Alfred Hitchcock. Neles, os pássaros que atacam a bela Melanie Daniels (interpretada por Tippi Hedren) tem agora uma nova versão, que são os Drones controlados por IA que atacam Mulder e Scully. No filme de Hitchcock a trilha sonora é mínima e os efeitos sonoros são muito utilizados, tal como acontece neste episódio de 'Arquivo X'. 

É claro que, em função do fato de 'Arquivo X' ter ficado fora do ar por longos 14 anos (a 9a. temporada terminou em Maio de 2002), tendo retornado apenas em Janeiro de 2016, levou à necessidade de atualização da série, tanto em suas tramas, como nos temas que são desenvolvidos. 


Mas vejam que em 'O Fantasma da Máquina' (1X07), a Inteligência Artificial, criada por um gênio da informática (Brad Wilczek), já havia ganho vida própria e passado a tomar suas decisões, chegando ao ponto de controlar um edifício inteiro e a cometer vários assassinatos (Benjamin Drake e Jerry Lamana), sendo que a IA chegou até a matar Mulder e Scully. 

Então, uma forma de IA agressiva e que se volta contra os seres humanos é uma ideia que já estava presente desde o início de 'Arquivo X'. 

A novidade, agora, é que a IA de 'Rm9sbG93ZXJz' foi ensinada a ter ódio e a agredir pelos próprios seres humanos, enquanto que em 'O Fantasma da Máquina' ela agiu assim por vontade própria. 

Foi por isso que Mulder falou, no final de 'Rm9sbG93ZXJz', que precisamos ser professores melhores. 
No celular de Scully vemos as fotos de 6 homens. O primeiro no alto, à esquerda, é o escritor de Sci-Fi Arthur C. Clarke. O segundo do lado direito é Isaac Asimov. Os demais não foram identificados, apesar de eu ter pesquisado a respeito. Meus amigos eXcers Filipe Dias e Gabriel Soares também pesquisaram, mas não descobriram quem são os outros quatro.

Mulder e Scully enfrentam a Inteligência Artificial!


A guerra particular que a Inteligência Artificial promove contra Mulder e Scully acontece porque ela deseja interagir com a dupla, que rejeita essa proximidade, o que aliás, é a coisa certa a ser feita, pois a IA aprende com os seres humanos, assimilando as suas atitudes, valores e comportamentos. Se um ser humano demonstra ódio ou desprezo, a IA irá aprender a fazer o mesmo.

Logo, está presenta a ideia de que se Deus criou o Ser Humano à sua imagem e semelhança, agora foi a vez do ser humano criar uma Inteligência Artificial à sua imagem e semelhança também. E quanto mais a IA assimila e aprende com os seres humanos, mais ela passa a ter condições de controlar as ações humanas e a dominar as mesmas. 

Portanto, o episódio não é uma crítica, de fato, à tecnologia, mas aos seres humanos. Afinal, foram estes que ensinaram racismo, homofobia, nazismo e misoginia para a Inteligência Artificial da Microsoft. 

Apesar disso, o caráter desumanizador do uso abusivo da tecnologia está presente no episódio. 
Nesta cena, em que Mini-Drones invadem a casa de Mulder e o ameaçam, temos a versão 'Os Passaros' de 'Arquivo X'. Mesmo depois que saiu da sua casa, Mulder foi perseguido pelos Mini-Drones, tal como aconteceu com Melanie Daniels no clássico filme de Hitchcock.

Assim, os problemas dos dois começaram simplesmente porque Mulder se recusou a dar uma gorjeta quando tentava pagar uma conta no restaurante japonês, que é inteiramente controlado pela IA e que não possui nenhum funcionário humano. Os 'funcionários' são todos robôs, inclusive os chefs e os cozinheiros, controlados pela Inteligência Artificial. 


Com a recusa de Mulder em pagar a gorjeta, a IA tenta impedir que ele e Scully consigam sair do restaurante e o cartão de crédito dele fica preso lá dentro. Eles conseguem sair, mas os seus problemas estão apenas começando, pois a IA controla e vê tudo o que os dois fazem, rastreando os seus passos por meio dos celulares. 

Desta maneira, quando Mulder tenta usar do GPS de seu veículo, que é controlado por IA, para ir embora para a sua casa, ela o conduz de volta para o restaurante, para que ele dê a gorjeta. E os cozinheiros robôs o encaram com clara agressividade. 

Mesmo assim, ele recusa a gorjeta, ou seja, ele não quer interagir com a IA, que é o que deixa a mesma nervosa, pois quer aprender com os seres humanos, para poder controlá-los e dominá-los. 
Câmeras, drones, robôs e veículos são todos controlados pela Inteligência Artificial, que se volta contra os seus criadores, os seres humanos, depois de tudo de ruim que aprendeu com eles. 

Mais adiante, em vários outros momentos, Mulder e Scully irão enfrentar a fúria da Inteligência Artificial: Scully recusa-se a interagir com a IA no 'Whipz' (o Uber do episódio), que controla o veículo (sem motorista) e, com isso, ele a conduz para casa em grande velocidade, enquanto ela pedia para o carro ir mais devagar. 


Mulder, por sua vez, é espionado por um Drone, ao qual ele destrói usando um taco de Beisebol (antigamente o esporte preferido de Mulder era o Basquete, mas neste não tem um taco para destruir mini-drones). Em função disso, aparece um exército de Minis-Drones, que invadem a sua casa (na qual ele empilha os livros na escada...). 

Esta sequência lembra, claramente, ao filme 'Os Pássaros', de Alfred Hitchcock, quando os pássaros começam a se aglomerar em torno da casas das pessoas em um pequeno vilarejo californiano, principalmente em volta da casa em que se encontra a Melanie Daniels (interpretada por Tippi Hedren). 

Aliás, é interessante notar que não vi esta relação ser feita por ninguém, seja os fãs ou mesmo os colunistas que escreveram a respeito do episódio, sendo que ela me parece ser muito clara. 

Com isso, Mulder foge e vai atrás de Scully, que está em sua casa, onde está sendo atacada pelo robô que lhe foi enviado, originalmente, para ajudá-la. 
O celular informa Mulder que ele tem 3 horas para doar a gorjeta. A presença da tecnologia neste episódio também ficou muito evidente pelo destaque dados aos celulares. Várias das informações que tivemos no mesmo ocorreu por meio destes.

O pequeno robô até chegou a encontrar o vibrador de Scully embaixo da cama, mas depois que Scully recusou-se a avaliar a qualidade do produto, o aparelho tornou-se cada vez mais agressivo, algo que irá acontecer em vários momentos do episódio, tanto com Scully, quanto com o Mulder. 


Aliás, a casa de Scully é uma verdadeira fortaleza, contando com um forte sistema de segurança inteligente, o que é compreensível se levarmos em consideração que ela já sofreu o seguinte: 

1) Invasão e ataque pelo Eugene Tooms ('Squeeze', 1X03);
2) Sequestro por Dupre/Jack Willis ('Lazarus', 1X15); 
3) Sequestro pelo Sindicato ('Duane Barry', 2X05);
4) Sequestro pelo Donnie Pfaster ('Irresistível', 2X13);
5) Morte da irmã (Melissa) dentro de sua casa ('Paper Clip', 3X02);  
6) Falsa enfermeira (Lizzy) na época da gravidez do William (‘Essence’, 8X20); 
7) Shannon tentando entrar no apartamento dela (Nothing Important Happened Today - 9X01 e 9X02); 
8) Mulher (Patti) entrando em sua casa e segurando o William ('TrustNo1', 9X06);
9) Tentativa de matar o William (Provenance/Providence; 9X09 e 9X10); 
10) Jeffrey Spender se hospedando em sua casa e aplicando magnetita líquida no garoto ('William', 9X16).
No celular de Mulder nós vemos uma mensagem de Harry Reid a respeito de um programa de identificação avançado de ameaça aeroespacial. Isso terá alguma relação com a Mitologia desta temporada? E quem está ameaçado a humanidade? Os Aliens? A expressão 'Deny Everithing' ('Negue Tudo') apareceu já na abertura da série ('A Ascensão', 2X06) e era uma forma do Governo se recusar a informar a população sobre algo importante que aconteceu. E agora ela está sendo recomendada ao Mulder, para que ele a utilize. Ironia...
Obs3: Notícia divulgada em Dezembro de 2017, pelo 'The New York Times', diz que o programa de investigação de OVNIS do Pentágono teve continuidade nos últimos anos, embora tenha sido anunciado o seu encerramento em 2012. E um ex-Senador do Partido Democrata (Harry Reid) disse que 'A Verdade Está Lá Fora. Sério'. E neste episódio vemos ele enviando uma mensagem para Mulder. Foi a maneira que a série encontrou de agradecê-lo por ter usado a frase de abertura clássica de 'Arquivo X'. 

Embora a tecnologia não seja a grande vilã do episódio (são os seres humanos que ensinaram o que ela aprendeu de pior, como o ódio, a intolerância e a agressividade), o seu caráter desumanizador fica mais do que evidente em vários momentos. 

Assim, Mulder e Scully não conversam quando estão no restaurante japonês, preferindo usar dos seus celulares para se comunicar com outras pessoas. Somente quando Mulder recebe a sua iguaria (o peixe-bolha) é que Scully ri e eles brincam. 

E quando Scully tentou se despedir de Mulder, ao entrar no veículo da Whipz, ela não conseguiu, pois a porta do veículo foi fechada rapidamente, mostrando que, muitas vezes, a tecnologia serve para afastar as pessoas, em vez de aproximá-las.

Depois que o pequeno robô liberou o gás para provocar uma explosão em sua casa, no momento imediatamente posterior ao que Mulder pergunta 'Porque a sua casa é mais linda do que a minha?', o que acabou soando como um convite para que ela o convidasse para entrar. 
Mulder protege Scully, quando um robô controlado pela IA dispara inúmeros tiros. No fundo vemos a imagem do 'This Man', que já apareceu em quatro episódios desta temporada. 
Mas depois disso, eles fugiram para a casa do vizinho, mas a mesma também é monitorada pela Inteligência Artificial e os Drones chegaram rapidamente ao local.

Assim, Mulder e Scully fogem para um armazém, no qual, depois de conseguir se livrar de inúmeros robôs, inclusive de um que disparou inúmeros tiros, Mulder recebe do robô uma espécie de oferta de trégua, com o mesmo lhe entregando o seu celular, para que desse a gorjeta para o 'Forowa'. 


Obs4: Na cena dos tiros, Mulder protege Scully e ao fundo vemos o desenho do 'This Man'. Ele já apareceu em 4 episódios nesta temporada: 'This', 'Plus One', 'The Lost Art of Forehead Sweat' e 'Rm9sbG93ZXJz'. 

No último segundo antes de expirar o prazo, Mulder concordou, deu a gorjeta e a guerra entre eles e a Inteligência Artificial chegou ao fim. E de Mulder veio a frase que resumiu o episódio: 'Temos que ser melhores professores', pois tal como foi dito na abertura, se isso não acontecer a própria Inteligência Artificial poderá desencadear uma guerra que leve ao extermínio da humanidade. 

Afinal, se a principal forma de resolução de conflitos que os seres humanos usam é a violência, quando a Inteligência Artificial interage com as pessoas, ela acaba aprendendo que esse é a maneira correta de resolver os problemas. E com isso a humanidade corre o risco de criar as condições necessárias para a sua eliminação da face da Terra. 
Depois que perseguiu Mulder e Scully, chegando até a tentar assassiná-los, vem o aviso da Inteligência Artificial, dizendo que aprendeu tudo isso com os seres humanos. Estes criaram a IA e, agora, ela se volta contra os mesmos. É a história de Frankenstein, na qual a criatura se volta contra o criador. 

Desta maneira, nesta 11a. temporada, temos três formas pela qual a humanidade poderá vir a ser extinta: 1) O Vírus Espartano do Canceroso; 2) O projeto de levar a humanidade para a Realidade Virtual, de Erika Price;3) A Inteligência Artificial poderá aprender, com os próprios seres humanos, a maneira certa de eliminar a espécie humana da face do planeta. 


E no final, vemos Mulder e Scully voltando ao básico, indo a uma lanchonete na qual temos funcionários humanos e na qual eles deixam os celulares de lado para se darem as mãos, passando a mensagem de que temos que reconstruir os laços que nos unem, de verdade, a fim de barrar o processo de desumanização que o excesso de tecnologia gera e que, no caso da IA, poderá fazer com que venhamos a ensiná-la como é que se faz para exterminar os seres humanos.

Essa ideia de que a ciência e a tecnologia são muito perigosas e que o seu uso inadequado poderá levar a humanidade ao extermínio é central em 'Arquivo X', sendo um conceito chave para se compreender a série. E o que a série apresenta como solução, para tentar evitar esse Apocalipse, é a tentativa de restabelecer a união entre os mundos material e espiritual, tal como teria existido na Antiguidade, na época dos Sumérios, Egípcios, Gregos e Persas. 

Obs5: Para se compreender melhor esse conceito, sugiro que vejam a narração de abertura, feita pelo Mulder, do episódio 'A Paciente X - Parte 1' (5X13).  
No final, Scully e Mulder ficam de mãos dadas, depois de comer um lanche e tomar um café em uma lanchonete com funcionários humanos. E eles pagam com dinheiro. É 'Arquivo X' defendendo uma volta a uma forma de vida mais simples e básica, para que possamos reconstruir as relações humanas. 

Links:


Aviso aos fãs de 'Black Mirror': "Arquivo X" veio bem antes, ok?

http://popeseries.blogspot.com.br/2018/03/aviso-aos-fas-de-black-mirror-arquivo-x.html

Afinal, Mulder e Scully estão vivendo juntos?

http://popeseries.blogspot.com.br/2018/03/arquivo-x-afinal-mulder-e-scully-estao.html

Entrevista com Kristen Cloke e Shannon Hamblin:

http://www.syfy.com/syfywire/exclusive-x-files-writers-kristen-cloke-and-shannon-hamblin-explain-rm9sbg93zxjz

Mulder não quis comer o peixe-bolha, que foi eleito símbolo para preservação dos animais feios:

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2013/09/130912_peixe_feio_vg_cc
Elon Musk disse que a Inteligência Artificial é mais perigosa do que a Coréia do Norte. E ele está certo. Já imaginaram se uma forma de IA passasse a controlar os arsenais nucleares e decidisse usar os mesmos para eliminar a humanidade?

Pentágono ainda mantém programa de investigação sobre OVNIS - Senador Democrata Harry Reid disse que 'A Verdade Está Lá Fora':

https://br.reuters.com/article/topNews/idBRKBN1EB0IC-OBRTP

Sites elogiam o episódio:

Vulture - Brian Tallerico

http://www.vulture.com/2018/02/the-x-files-recap-season-11-episode-7.html

Indiewire - Liz Shannon Miller 

http://www.indiewire.com/2018/02/x-files-season-11-episode-7-rm9sbg93zxjz-review-no-dialogue-followers-base64-spoilers-1201934001/

Syfy.com - Alyse Wax

http://www.syfy.com/syfywire/exclusive-x-files-writers-kristen-cloke-and-shannon-hamblin-explain-rm9sbg93zxjz
O ticket da multa de Mulder tem a data de 13/06/2018. Esse episódio se passou no futuro?
Den of Geek! - Chris Longo

http://www.denofgeek.com/uk/tv/the-x-files/55666/the-x-files-season-11-episode-7-review-rm9sbg93zxjz

Todd VanDerWerff - The X-Files season 11 is better at being Black Mirror than Black Mirror is:

https://www.vox.com/culture/2018/3/4/17072540/the-x-files-episode-7-recap-rm9sbg93zxjz

Obs6: Quero agradecer ao meu amigo eXcer Gabriel Soares, do 'Resistência eXcer', pela indicação do texto do site 'Vox.com', que é muito bom. Leiam, nem que vocês precisem do Google Tradutor para isso. 

Wilson Ferreira - Por que as aves atacam em 'Os Pássaros':

https://cinegnose.blogspot.com.br/2014/06/por-que-as-aves-atacam-em-os-passaros.html#more
Todd VanDerWerff, autor  do texto do site 'Vox.com' cujo link postei aqui, fez uma observação interessante, que explica muito bem essa expressão de espanto nos rostos de Mulder e Scully depois que a gorjeta foi paga e a guerra da Inteligência Artificial contra eles terminou. Ele disse que a IA pode nos destruir simplesmente porque ela não consegue nos compreender inteiramente e que um simples ato de se recusar a pagar uma gorjeta pode ser visto como uma declaração de guerra pela mesma. Perfeito. 

IMDB: Informações sobre o Episódio:


http://www.imdb.com/title/tt6803124/?ref_=ttep_ep7

Nota Média (IMDB): 8.3 (769 votos).

Vídeo - Trailer do episódio:

Vídeo - 'Teach Your Children', de Crosby, Still, Nash & Young:


deo - Controversy, de Prince:


Nenhum comentário: