domingo, 19 de março de 2017

‘Sciuscià’ (Vítimas da Tormenta) mostra as consequências da Segunda Guerra Mundial para as crianças e adolescentes italianos! – Marcos Doniseti!

'Sciuscià’ (Vítimas da Tormenta) mostra as consequências da Segunda Guerra Mundial para as crianças e adolescentes italianos! – Marcos Doniseti!
'Vítimas da Tormenta' é um dos principais clássicos neo-realistas e mostra a vida de exploração, miséria, sonhos e delinquência de muitos adolescentes italianos após o final da Segunda Guerra Mundial.
Vittorio De Sica foi um dos principais cineastas do Neo-Realismo, formando com Roberto Rossellini e Luchino Visconti uma espécie de ‘Santíssima Trindade’ deste ‘movimento’ cinematográfico, que se tornou um dos mais importantes e influentes da história. 

A ‘Nouvelle Vague’ francesa, o ‘Cinema Novo’ brasileiro e o Cinema Iraniano estão entre os principais movimentos que foram bastante influenciados pelo Neo-Realismo italiano. 

No capítulo 8 do ótimo livro ‘História do Cinema Mundial’ (organizado por Fernando Mascarello; Editora Papirus; Ano 2000), Mariarosaria Fabris explica e analisa o que foi o Neo-Realismo e também faz uma divisão dos temas que foram tratados nos filmes produzidos pelos cineastas Neo-Realistas e as categorias nas quais eles estão inseridos, que são os seguintes:

A) O Fascismo, a Guerra e as suas consequências; 

B) A questão meridional (do Sul da Itália) e os problemas sociais no campo; 
Pasquale (à esquerda) e Giuseppe são dois adolescentes que ganham a vida engraxando sapatos nas ruas de Roma. 
C) O desemprego e o subemprego urbanos; 

D) O abandono dos jovens e idosos; 

E) A condição da mulher; 

F) A indagação psicológica e a relação do homem com a Religião; 

G) A retomada dos temas do Antifascismo e da Guerra; 

H) A elegia populista e a diluição da temática social; 

I) A superação do Neo-Realismo.

O clássico ‘Vítimas da Tormenta’, que foi realizado em 1946, logo após o final da Segunda Guerra Mundial, pode ser inserido em duas destas categorias, que são o ‘fascismo, a guerra e as suas consequências’ e o ‘abandono dos jovens e idosos’. 
O dinheiro que Giuseppe ganhava engraxando sapatos era fundamental para que a família pudesse se manter. 
Afinal, este belo filme de Vittorio De Sica trata das consequências da Segunda Guerra Mundial para as crianças e adolescentes italianas, pois milhares delas ficaram órfãos e passaram a viver em situação de miséria em função do conflito.  

A história do filme se desenvolve em torno de dois adolescentes (Pasquale e Giuseppe) que vivem de engraxar sapatos em Roma. Pasquale é órfão de guerra e vive na casa de Giuseppe (antes ele dormia em um elevador, mas acabou sendo proibido de fazer isso). 

Uma parte do dinheiro que ganha com esse trabalho eles dão para a família de Giuseppe, ajudando a sustentar a mesma, enquanto que a outra parte eles guardam, pois sonham em comprar um cavalo (cujo nome é Bersagliere, que se parece mais com um potro), o que eles acabarão fazendo. 

Porém, eles não tinham todo o dinheiro necessário para fazer isso. Mas eles serão usados e manipulados por um grupo de ‘golpistas’, do qual o irmão mais velho de Giuseppe fazia parte. Esse grupo convence os dois garotos a vender cobertores americanos para uma cartomante. 
Giuseppe e Pasquale acabam sendo manipulados por golpistas, incluindo o irmão mais velho de Giuseppe, sendo usados em atividades ilegais.
Porém, logo depois que a venda foi efetuada, os membros do grupo aparecem na casa da cartomante e agem como se fossem policiais, acusando a mulher de comprar mercadoria roubada. Eles confiscam os cobertores e mandam os garotos embora. 

É bom esclarecer que Giuseppe e Pasquale não sabiam desse plano, sendo que eles foram convencidos a vender os cobertores em troca de uma comissão (de 300 Liras). 

Posteriormente, no entanto, a cartomante fez a denúncia para a Polícia, gerando a prisão de Pasquale e Giuseppe. 

Mas como eles não confessaram a participação dos adultos nesse plano, a fim de proteger o irmão de Giuseppe, os dois acabaram sendo levados para uma espécie de ‘Febem’ italiana, onde passaram a conviver com centenas de menores infratores e que haviam se envolvido nos mais variados crimes: assaltos à mão armada, roubos, furtos, assassinatos. 
Giuseppe e Pasquale vendem cobertores para uma cartomante, desconhecendo o fato de que estão sendo usados por golpistas. 
Na ‘Febem’, eles são separados e são colocados em celas separadas (são cinco em cada cela), permitindo que eles façam novas amizades e estabeleçam alianças dentro do local. 

Pasquale, por sinal, entrará em conflito com outro adolescente (Arcangeli), que havia sido preso por assalto à mão armada, o que fazia dele um líder respeitado lá dentro. E esse conflito desencadeará uma sucessão de acontecimentos que, por sua vez, levará a um final trágico.  

Os menores, muito espertos, sabem negociar com os ‘mestres’, ou seja, com os funcionários da ‘Febem’ que são encarregados de manter a ordem e a disciplina no local. Exemplo disso é que eles conseguem fumar no lugar, embora isso seja proibido. Mas para isso eles são obrigados a oferecer cigarros aos funcionários que, em troca, lhes fornecem os fósforos. 

E os ‘mestres’ também são especialistas em confiscar (ou seja, em roubar) uma parte daquilo que as famílias dos menores mandam para eles (alimentos, em especial). E é claro que, na ‘Febem’, há também aqueles menores que colaboram com os administradores, em troca de receber um tratamento melhor por parte dos mesmos. 
Giuseppe e Pasquale acabam sendo presos, mas recusam-se a dizer quem os usou para aquela atividade ilegal. 
Os outros menores sabem quem são estes traidores e estão sempre provocando os mesmos. E muitos dos menores sequer recebem as visitas dos familiares, que não se importam com o que eles estão sofrendo na instituição. 

No entanto, a amizade entre Pasquale e Giuseppe ficará abalada quando, ao pensar que o amigo estaria sendo espancado, Pasquale acabou dizendo os nomes dos adultos que os manipularam. A mãe de Giuseppe o visita na ‘Febem’ e o repreende por ter entregado o nome do irmão, levando a que o filho descubra que foi Pasquale 
que o entregou. 

Com isso, Giuseppe e Pasquale se afastam, tornando-se inimigos, sendo que este segundo passará a ser visto como traidor pelos demais menores da instituição. 
Alguns amigos em comum tentam reaproxima-los, mas isso não acontecerá.

Também teremos um confronto entre Pasquale e outro adolescente, que quase acaba morrendo quando é atingido pelo ex-amigo de Giuseppe (embora este tenha torcido pelo mesmo durante a briga). Desta maneira, Pasquale será levado para a solitária. 

No fim, os menores aproveitam-se da exibição de alguns filmes no pátio para organizar e promover uma fuga. Giuseppe foge com mais quatro garotos, mas Pasquale diz para os ‘mestres’ que sabe para onde os fugitivos foram. Ele os leva até a fazenda onde está o cavalo que ele e Giuseppe compraram e também acaba aproveitando para fugir. 
Giuseppe é colocado em uma cela diferente daquela em que seu amigo Pasquale ficou, separando os dois. 
Pasquale encontra Giuseppe e termina por ataca-lo, provocando um final trágico.

Assim, neste belo e clássico filme de Vittorio De Sica vemos a tragédia humana que representou o Fascismo e a Segunda Guerra Mundial para a Itália (afinal, foi Mussolini quem conduziu a Itália à Guerra), em especial para as crianças e adolescentes.

Afinal, uma geração inteira de crianças, adolescentes e jovens acabou pagando um preço elevado pelos crimes de adultos extremistas e fanáticos. 

Também é possível notar a facilidade com que Vittorio De Sica trabalhava com crianças e adolescentes. Não é à toa que, dois anos depois, ele iria dirigir outro clássico, que foi ‘Ladri di Biciclete’ (vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 1950), filme no qual uma criança (Enzo Staiola, que interpretou Bruno) teve um papel importante. 

‘Vítimas da Tormenta’ também acabou influenciando outros cineastas, que posteriormente também dirigiram filmes a respeito de assunto semelhante, como foi o caso de ‘Os Esquecidos’ (de Luís Bunuel) e ‘Pixote – A Lei do Mais Fraco’ (de Hector Babenco).
No final, Pasquale vai atrás de Giuseppe, por quem se sentiu traído. E o final do confronto será trágico. 
Informações Adicionais: Título: Sciuscià (Vítimas da Tormenta);
Diretor: Vittorio De Sica;
Roteiro: Cesare Zavattini; Sergio Amidei; Adolfo Franci; Cesare Giulio Viola;
Ano de Produção: 1946; País de Produção: Itália;
Duração: 88 minutos; Gênero: Drama;
Música: Alessandro Cicognini; 
Fotografia: Anchise Brizzi;
Elenco: Franco Interlenghi (Pasquale Maggi); Rinaldo Smordoni (Giuseppe Filipucci); Annielo Mele (Raffaele); Bruno Ortenzi (Arcangeli); Emílio Cigoli (Staffera).
Prêmios: Oscar Honorário em 1948.
Melhor Diretor para Vittorio De Sica (Sindicato Nacional de Jornalistas Cinematográficos da Itália). 
Vídeo - Trailer do filme:

Nenhum comentário: