sábado, 29 de dezembro de 2012

'Fringe' e 'X-Files': Uma comparação! - por Marcos Doniseti!

'Fringe' e 'X-Files': Uma comparação! - por Marcos Doniseti!


'Fringe' e 'X-Files' tratam de temas comuns, mas apontam soluções diferentes para os mesmos. 

Já li vários textos e comentários no qual se procura estabelecer uma comparação entre duas excelentes séries de ficção-científica: 'X-Files' e 'Fringe'. 

Muitos fãs, tanto eXcers, como os fringemaníacos (e que, muitas vezes, são os mesmos, já que há muitas pessoas que gostam das duas séries, como é o meu caso, aliás) ficam debatendo sobre qual delas teria sido a melhor ou de que maneira a mais antiga delas, 'X-Files', teria influenciado a mais nova, 'Fringe'. 


Neste texto, não irei fazer nenhuma destas coisas. Deixarei para os leitores desde humilde blog a missão de escolher qual delas é a melhor ou aquela que mais lhe agrada. Eu gosto das duas. 


Assisti a todos os episódios e de todas as temporadas de 'X-Files' e de 'Fringe'. Então, entendo que posso tentar fazer uma comparação entre elas, mas procurando estabelecer as principais diferenças existentes entre elas. 


Quando 'Fringe' estava para estrear, li algumas notícias que falavam que JJ Abrams havia copiado ou, pelo menos, buscado se inspirar em 'X-Files'.


E a própria 'Fringe' já tratou de homenagear 'X-Files' e em várias oportunidades. Exemplo disso se deu no primeiro episódio da segunda temporada (A New Day in the Old Town), no qual um senador, Kenneth Taylor, fala que a 'Fringe Division' já existia há muito tempo e que uma das denominações empregadas para identificá-la, no passado, tinha sido a letra 'X'. Inclusive, o ator que interpretou o senador Taylor também trabalhou em 'X-Files' e fazia o papel de um Diretor do FBI que perseguia Mulder, tentando desacreditar o trabalho deste. 

Porém, depois de cinco temporadas de 'Fringe', penso que já é mais do que possível perceber as diferenças existentes entre as duas séries. 


A principal diferença se dá, a meu ver, no conceito central das duas séries. 


Ambos os seriados demonstram e transmitem um certo sentimento de mal-estar com relação ao cada vez mais rápido processo de desenvolvimento científico e tecnológico da humanidade. As duas séries passam a ideia de que isso está provocando mudanças profundas na vida humana e na natureza e que grande parte destas transformações são muito prejudiciais.


Em 'X-Files', por exemplo, vemos inúmeras pessoas que apelam para o fanatismo religioso e buscam curas milagrosas para a solução dos seus problemas, que surgem como resultado do seu desajuste a uma sociedade em rápida transformação (episódio 'O Homem dos Milagres'), enquanto algumas aberrações da natureza aparecem como sendo resultado desta rápida transformação científica e tecnológica (episódio 'O Hospedeiro', da 2a. temporada), vemos a Natureza sendo devastada, provocando consequências nefastas para os seres humanos (episódio 'Quanto Cai a Noite', da 1a. temporada) e culturas tradicionais são desestruturadas e destruidas com o avanço da chamada "Civilização" (episódio 'A Besta Humana', da 1a. temporada). 


Em todos estes episódios, essencialmente, vemos que a vida moderna acaba cobrando um alto preço dos seres humanos e da natureza. 


E como o criador de 'X-Files', Chris Carter, acredita ser possível superar tais problemas que surgem da dificuldade do ser humano e da natureza em se 'adaptar' ao surgimento do mundo moderno? Apelando para o mundo do sobrenatural, do paranormal, do espiritual. 


'X-Files', essencialmente, trata da busca do ser humano (representado por Fox Mulder) por tentar restabelecer uma união entre o mundo material e o mundo espiritual, unidade esta que teria existido há milhares de anos, nas antigas Civilizações (Egito, Grécia, Suméria, etc). 



'Fringe' e 'X-Files' possuem alguns pontos em comum, mas apresentam soluções diferentes para os grandes problemas que a Humanidade enfrenta e que surgem em função do rápido avanço científico e tecnológico.

Em um excelente episódio da 5a. temporada de 'X-Files' ('A Paciente X') temos uma narração que abre o mesmo e que é feita pelo próprio Mulder. 

Resumidamente, Mulder diz que, na Antiguidade, na época dos gregos, egípcios, sumérios, os Deuses viviam entre nós e não havia uma separação entre os mundos material e espiritual. 


Estes dois mundos estavam unidos. 

Porém, com o desenvolvimento científico e tecnológico, tivemos o nascimento do mundo Moderno, que promoveu uma radical ruptura entre os dois mundos, separando-os totalmente. O mundo material foi para 'um lado' e o mundo espiritual foi para o 'outro lado', deixando de existir qualquer conexão entre eles. 

E daí aparece Mulder, que 'quer acreditar' na possibilidade de se restaurar a união entre os dois mundos, o material e o espiritual. E ele também afirma que está pronto para acreditar nisso, bastando 'um sinal, uma revelação' que comprove que essa sua crença não é a de um louco. 


E depois disso Mulder lança a pergunta: Quando tudo isso acontecer, com qual dos 'olhos' enxergaremos melhor: o dos antigos ou com os da ciência moderna? Ele não dá a resposta, deixando para que cada pessoa encontre a sua própria solução para o problema, o que sempre foi uma das principais marcas de "X-Files". 


Já em 'Fringe', também vemos a presença desse mesmo sentimento de mal-estar com relação ao acelerado processo de avanço científico e tecnológico (e que também existe em 'X-Files'). Mas, as questões que são tratadas e a solução apresentada para resolver tal dilema são bem diferentes daquelas que vemos na série criada por Chris Carter. 


Em 'Fringe', a ciência e a tecnologia também são vistas como forças com grande potencial de destruição. 


Entre outros fatos que foram mostrados na série e que demonstram isso, tivemos a criação de animais híbridos e mortais (episódio 'Unleashed') a devastação da natureza (os Observers, seres humanos do futuro - e que são cientistas - devastaram inteiramente com a Terra no século XXVII, extinguindo com as plantas e os animais, poluindo totalmente a água e o ar, o que os levou a invadir e a conquistar a Terra no começo do século XXI, destruindo com a Humanidade), a aniquilação dos próprios Universos existentes (que era um dos planos do 'velho Walter'), a fabricação de armas biológicas que são usadas de forma aleatória, contra pessoas inocentes (episódio 'Ability'), a transformação de seres humanos em cobaias para criar uma Humanidade mais evoluída (caso dos testes feitos por Walter e Bell com as crianças cortexiphadas e da manipulação genética realizada pelo Dr. Owen Frank). 


Inclusive, as crianças cortexiphadas iriam ser, como vimos, usadas como futuros soldados numa guerra que seria travada contra o Universo alternativo. 


'Fringe' e 'X-Files': Duas séries que fizeram história na TV mundial tratando de temas relacionados ao tipo de sociedade e de mundo que estamos construindo. 

Nota-se que, em todos estes casos, o conhecimento científico e tecnológico não é empregado de forma positiva, para contribuir com a construção de um mundo melhor para todos, tornando a Humanidade mais feliz, muito pelo contrário. 

E vários dos principais cientistas que aparecem no seriado são megalomaníacos, arrogantes, prepotentes, egoístas, para os quais não existe qualquer limite para os que eles podem fazer. Walter, Bell, Nicholas Boone, Owen Frank são exemplos desse modelo de comportamento. 


E no caso de Walter vemos que ele mesmo pediu para que Bell retirasse alguns pedaços do seu cérebro pois não gostava da pessoa na qual ele estava se transformando. Suas ambições desmedidas chegam a resultar na destruição da sua família. 


Vimos que, Peter, por exemplo, somente via o pai nos finais de semana. A solidão e o abandono a que ele e a mãe foram relegados por Walter criaram um forte ressentimento em Peter, tanto que ele jamais o visitou quando o mesmo ficou internado no St.Claire's por longos dezessete anos. 


E quando se trata de enfrentar as restrições legais e morais, as mesmas demonstram não serem suficientes como forma de limitar este processo de acelerada transformação científica e tecnológica que a Humanidade vivencia na atualidade. 


A Massive Dynamic, a Intrepus e as grandes corporações dedicadas ao avanço científico e tecnológico que vemos na série viviam desrespeitando as leis, fazendo pesquisas secretas e ilegais, usando drogas não permitidas (caso do cortexiphan). 


Para tais corporações, palavras como ética, moral, religião, valores (a não ser se forem monetários), não significam absolutamente nada. No fim das contas, elas faziam o que bem entendiam e não davam satisfação para ninguém. 


Em várias oportunidades vimos, por exemplo, Sanford Harris falar para Broyles e Olívia que eles deveriam ficar bem longe de William Bell e de sua empresa, pois a Massive Dynamic era a maior fornecedora de armamentos para o governo dos EUA. 


Enfim, 'Fringe' também adota uma visão muito crítica em relação à Ciência moderna, tal como a série de Chris Carter. 


Mas, diferente de 'X-Files', a série criada por JJ Abrams não aponta a integração do mundo material com o mundo espiritual  como uma possível solução para estes problemas. 


Em 'Fringe', são os sentimentos e as emoções humanas (o amor, a paixão, etc) que são vistas como elementos positivos e que podem estabelecer restrições ao desenvolvimento científico e tecnológico (e que é visto como altamente destrutivo) da Humanidade. 



'Fringe' e 'X-Files' são duas das melhores séries da história da TV mundial.

Quanto Peter estava se transformando num Observer, Olívia disse para ele que as emoções não eram uma fraqueza, mas um ponto forte dos seres humanos. E é isso que leva Peter a interromper a sua transformação em Observador, o que faria com que ele acabasse por suprimir as suas emoções. 

Afinal, como disse a Nina para Windmark, os Observers deste grupo tornaram-se  incapazes de amar, de sonhar e de contemplar a beleza justamente porque eliminaram as emoções e os sentimentos com o objetivo de desenvolver e de ampliar o seu potencial cerebral. E ao fazer isso eles passaram por um processo de involução e não de evolução. 


Logo, o avanço científico e tecnológico e o desaparecimento das emoções fez os seres humanos regredirem, tanto que Nina chega a comparar os Observadores com os lagartos, com quem Windmark e o seu grupo tem muito mais afinidade.


E Walter pediu para Bell retirar pedaços do seu cérebro pelo fato de que não estava gostando da pessoa na qual ele estava se transformando (ou seja, arrogante, egoísta, prepotente, megalomaníaco,). 


O 'velho Walter' chegava ao ponto de dizer, para Carla Warren (sua assistente, que era formada em Física Teórica, mas que acreditava em Deus e frequentava a Igreja), que não havia lugar para dois Deuses em seu laboratório.


Nesta última temporada, inclusive, vimos todo o sofrimento que Walter passou quando Carla e Michael o fizeram se lembrar do tipo de pessoa que ele havia sido antes da cirurgia em seu cérebro e que ele chegou a pedir para que Nina voltasse a operar o seu cérebro depois que os Observadores fossem derrotados. 


Logo, em 'Fringe', a solução que a série aponta para resolver os gigantescos problemas criados pela ilimitado desenvolvimento da Ciência e da Tecnologia é diferente daquela que vimos em 'X-Files'. 


Portanto, considero um grave equívoco quando algumas pessoas dizem que 'Fringe' é uma mera cópia de 'X-Files'. Não é. Nunca foi. 


As duas séries até chegam a tratar de alguns temas e problemas que são próximos, como vimos aqui, mas as soluções apresentadas para resolvê-los são distintos, como procurei demonstrar.


Independente disso, sou fã de ambas as séries e estarei sempre revendo os episódios das duas, pois não é a toda hora que surgem programas de TV que trabalham conceitos e idéias que estão diretamente relacionados aos grandes dilemas enfrentados pela Humanidade e que fazem isso de forma tão instigante e inteligente. 


Nenhum comentário: