sexta-feira, 28 de abril de 2017

‘La Cittá si Defende’: Pietro Germi fez um clássico do Noir em que defende a legitimidade da autoridade do Estado! – Marcos Doniseti!

‘La Cittá si Defende’: Pietro Germi fez um clássico do Noir em que defende a legitimidade da autoridade do Estado! – Marcos Doniseti!
'La Città si Difende' é um clássico filme Noir que foi realizado por um dos principais cineastas italianos do Pós-Guerra, que foi Pietro Germi. 
Pietro Germi foi um dos principais cineastas italianos do Pós-Guerra. Ele chegou a realizar alguns filmes que, de alguma maneira, se identificavam com alguns elementos do Neo-Realismo, mostrando a pobreza e a exploração e violência a que os trabalhadores italianos estavam sujeitos. 

Exemplos disso são os filmes ‘In Nome Della Legge’ (Em Nome da Lei, de 1949) e ‘Il Camino Della Speranza’ (O Caminho da Esperança, de 1950).  

Germi se consagrou com as comédias que realizou, principalmente na década de 1960, sendo que algumas delas alcançaram muito sucesso e são verdadeiros clássicos. Mas não foram apenas filmes com elementos neo-realistas e comédias que Pietro Germi realizou e nos quais demonstrou o seu talento. Ele também fez ‘La Città si Difende’ (1951), que é um típico filme Noir. 

No entanto, o caso de Pietro Germi era diferente. Ele nunca foi ligado ao PCI, como aconteceu com Vittorio De Sica, Luchino Visconti e Michelangelo Antonioni, três dos principais cineastas italianos do Pós-Guerra. 

Germi era católico e mesmo quando ele mostra a exploração que os trabalhadores sofriam, ele apresenta o Estado não como um inimigo, mas como um potencial aliado dos mesmos. E sendo católico é até compreensível que isso acontecesse, pois o governo italiano do período era controlado pelo PDC (Partido Democrata-Cristão), que governou a Itália de forma ininterrupta (em coalizão com outros partidos, incluindo os Liberais e, a partir de 1963, os Socialistas) entre 1948-1990.
O momento do assalto, no estádio, durante a realização de uma partida de futebol.  
Assim, em 'In Nome Della Legge' (1949) Pietro Germi mostra o Estado como sendo um agente civilizador de uma determinada realidade (a da Sicília), que era fortemente marcada pela violência privada que era promovida pela Máfia e pelos Capitalistas (latifundiários) e da qual as maiores vítimas eram justamente os trabalhadores e os mais pobres, que não tinham como enfrentar o enorme poderio e a violência destes grupos sociais. 

E agora, em 'La Città si Difende', Germi apresenta a força do Estado (via Polícia) também como um agente que mantém a Lei e a Ordem, a fim de proteger a população da violência de criminosos. 

Porém, é importante notar que este uso da força por parte do Estado não implica no uso de prisões ilegais, torturas e de outras práticas criminosas por parte da instituição policial. O Estado defendido por Germi atua dentro da Lei e não à margem da mesma, como tantas vezes acontece em inúmeras sociedades pelo mundo afora. 

Obs1: Esta defesa que Germi faz de um Estado que atua dentro da Lei, sem abusos, foi comprovado quando os cineastas Neo-Realistas passaram a ser censurados e perseguidos pelo governo italiano (controlado pelo PDC) durante a década de 1950, em plena época da 'Guerra Fria' e do McCarthismo. Quando isso aconteceu, Germi criticou o governo do país e colocou-se ao lado dos cineastas Neo-Realistas. 
Paolo Leandri é um ex-jogador de futebol de grande sucesso e que foi obrigado a encerrar a carreira precocemente em função de uma grave contusão.
Neste filme, Germi até reconhece que a miséria e a falta de perspectiva de se conseguir uma vida melhor por meio do trabalho honesto leva algumas pessoas para a vida do crime, mas o final que ele reserva para os 'bandidos' deixa claro que, na sua visão, o crime não compensa e uma vida diária de trabalho e estudo é que o caminho correto para se conseguir ascender social e economicamente. 

Por isso mesmo este filme ('La Cittá si Defende') de Germi foi muito criticado na época de sua produção, sendo apontado como um filme totalmente contrário aos preceitos do Neo-Realismo e até como sendo conservador politicamente.

Afinal, naquele momento em que o filme foi produzido  (1951) ainda era muito forte a influência das ideias Neo-Realistas na produção italiana, inclusive entre os críticos, mesmo que o auge do movimento já tivesse ficado para trás. 

Mas o fato é que a qualidade desta produção acabou sendo reconhecida posteriormente, passando a ser visto de muito positiva. E atualmente 'La Cittá si Difende' é considerado como sendo um dos melhores filmes Noir que foi realizado fora dos EUA, que é a pátria do Noir por excelência. 
Após o assalto. os integrantes do bando fogem e se separam. 
Assim, não foram apenas filmes com elementos neo-realistas e comédias que Pietro Germi realizou e nos quais demonstrou o seu talento. Ele também fez ‘La Città si Defende’ (1951), que é um típico filme Noir. 

Os romances e os filmes policiais Noir tiveram o seu auge nas décadas de 1930/40 e influenciaram a produção cinematográfica mundial, como foi o caso do Neo-Realismo e da Nouvelle Vague. 

Obs2: 'Ossessione', o filme de Luchino Visconti que foi realizado em 1943 e que é considerado como o marco inicial do Neo-Realismo, foi uma adaptação de um romance Policial Noir (O Destino Bate à Sua Porta, de James M. Cain). 

O policial ‘Noir’ (livros e filmes) ficou em evidência durante o período em que os EUA mergulharam em uma grave Depressão Econômica e, também, durante a Segunda Guerra Mundial. 

Os romances e os filmes ‘Noir’ mostravam uma sociedade na qual o chamado ‘Sonho Americano’ havia desmoronado e a possibilidade de ascensão social e econômica por meios honestos era praticamente impossível. A única saída para as pessoas comuns era o crime, assim mostrava o Policial Noir. 
A visão da cidade à noite, com as luzes acesas, é uma cena clássica dos filmes 'Noir'.
Obs3: A denominação 'Noir' para esse gênero de filmes é posterior à produção dos mesmos e foi criação de críticos franceses que admiravam esse estilo de filme. 

Somente a partir da década de 1950 é que os EUA entraram em um novo e longo ciclo de prosperidade econômica (que vai durar até 1973 quando ocorreu o primeiro ‘Choque do Petróleo), o que foi fundamental para a recuperação de toda a economia mundial. Assim, os EUA passaram por um período de cerca de 20 anos de grave crise econômica e social. 

Este filme de Germi sofreu a influência de vários filmes do estilo ‘Noir’, como é o caso de ‘The Asphalt Jungle’, de John Huston, que trata de um assalto frustrado.

‘La Città si Difende’ também conta a história de um assalto mal sucedido e que foi levado adiante por elementos marginalizados da sociedade italiana: Operários miseráveis (Alberto Tosi e Luigi Girosi); Um ex-jogador de futebol que encerrou a carreira precocemente devido a uma contusão e que caiu na pobreza (Paolo Leandri); 

Um ‘professor desenhista’ (Guido Marchi), que vive de fazer desenhos de outras pessoas e que também vive em estado de grande penúria. 
Guido engana e mente para os seus companheiros de assalto inclusive para Leandri, dizendo que não sabe onde estão as malas com o dinheiro roubado.
Obs4: Se em 'La Città si Difende' (1951) o Estado reprime as atividades criminosas promovidas por pessoas comuns, em 'In Nome Della Legge' (1949) Pietro Germi defende a ação do Estado na repressão às atividades criminosas da Máfia e dos Grandes Capitalistas. Então, para Germi, a Lei deve ser igual para todos, sejam poderosos ou não. 

Este professor (Guido) vai até alguns restaurantes luxuosos para oferecer os seus serviços, mas nestes locais ele é tratado como se fosse um vagabundo qualquer e vive sendo expulso pelo gerente. 

Percebe-se claramente que Guido é muito pobre porque quando vai a um restaurante, depois do roubo, e pede por uma bisteca, a proprietária se recusa a atender ao seu pedido, pois o mesmo possui dívidas não pagas com a mesma. 

Alberto e Luigi, ambos proletários, por sua vez, vivem na periferia abandonada da cidade, onde vivem os trabalhadores pobres, os prédios são velhos e estão caindo aos pedaços e nem sequer asfalto ou calçamento existe. As crianças da área têm no futebol e nos brinquedos as suas únicas fonte de diversão. 
A bela Daniela (interpretada por Gina Lollobrigida) finge querer ajudar Leandri, mas ele irá se arrepender de ter acreditado nela. 
O assalto ocorre durante um jogo de futebol: Os uniformes dão a entender que pode ser um jogo entre Juventus X Torino ou Juventus X Milan, até porque o estádio está totalmente lotado. 

Enquanto o jogo transcorre normalmente, os ladrões roubando o dinheiro da renda da partida e colocando o mesmo em duas maletas.

Os assaltantes amarram os funcionários do escritório de onde roubaram o dinheiro e vão embora, mas um dos funcionários consegue entrar em contato com a Polícia pelo telefone. Assim, quando os ladrões estão saindo do estádio, várias viaturas policiais já estão no seu encalço. 

Obs5: No filme de Germi a Polícia é criticada, sendo apontada como uma organização violenta, mas que é desprovida de imaginação.  

Obs6: Na cena em que os ladrões estão indo embora do estádio, com o dinheiro já devidamente colocado nas maletas, Paolo Leandri olha para trás, emocionado. A razão disso será explicada mais adiante: Ele foi um jogador de futebol de muito sucesso, mas que foi obrigado a encerrar a sua carreira precocemente, devido a uma fratura que o fez mancar para sempre. 
Luigi se cansou daquela vida marcada pela miséria e tentou mudar o seu destino por meio do crime. 
No carro fogem Guido, Alberto e Luigi (com as duas maletas de dinheiro). Enquanto isso, Leandri apenas observa Alberto e os outros dois ladrões fugindo com o dinheiro. Guido, Alberto e Luigi despistam a Polícia e abandonam o carro. Guido e Alberto levam as maletas embora, deixando Luigi sem dinheiro algum. 

Leandri procura pelos demais e acaba encontrando-se com Guido, que mente para ele dizendo que Alberto ficou as duas maletas. Na verdade, Guido guardou uma das maletas em um local público. 

Na sequência, Leandri vai à casa de Luigi, onde a esposa (Lina) a filha do mesmo 
(Sandrina) se encontram, mas não Luigi. Ele força a sua entrada e abre uma mala. 

Essa sua atitude leva a jovem Lina a desconfiar de que há algo errado e que Luigi fez alguma besteira. Antes mesmo que ele diga alguma coisa, a bonita Lina começa a chorar. 

Depois, Leandri vai atrás de Alberto, telefona para a casa do mesmo e vai até a casa do jovem. No entanto, quando Leandri o encontra, ele descobre que Alberto acabou por jogar a maleta com o dinheiro em uma fonte de água de uma praça. Leandri esbofeteia Alberto recupera a maleta. 
Lina, a filha e Luigi. Ela ficou arrasada quando o marido confessou que havia participado de um roubo e que era procurado pela Polícia. 
O roubo no estádio se torna um grande acontecimento midiático e a imprensa divulga o tempo inteiro as novas informações que estão relacionadas ao grande assalto. 

Luigi volta para casa e acaba confessando para a esposa (Lina), uma jovem bonita e honesta, que participou de um roubo em função da miséria na qual eles vivem. O envolvimento de Luigi em uma atividade criminosa a deixa profundamente triste e abalada. Mesmo assim ela não o abandona e concorda em fugir com ele e a filha para o campo, para a casa da avó de Sandrina. 

Depois, Leandri vai atrás de uma antiga amante (Daniela), que é uma mulher muito rica, bonita e elegante (e que é interpretada pela bela e sensual Gina Lollobrigida). 

Ele pede a ajuda dela, mas a esperta e observadora Daniela percebe que ele está envolvido em algum roubo importante, pois o viu manuseando o dinheiro na maleta.

A esposa de Luigi (Lina) vai até a casa de Daniela, onde está Leandri, e consegue que ele dê 150 mil Liras para ajudar Luigi e a família a fugir, pois o miserável operário não ficou com nenhuma parte do valor roubado (que foram de muitos milhões). Lina vê a Polícia chegando à casa de Daniela. 
Luigi, desesperado, após fugir da Polícia e abandonar esposa e filha. Ele tentava se esconder no campo, mas o seu plano não funcionou. 
Assim, Daniela, a bela ex-amante de Leandri, apenas fingiu em querer ajuda-lo, mas foi para o quarto, fechou as portas e acabou por chamar a Polícia. Leandri percebeu que foi enganado por Daniela e tentou fugir pela janela, mas terminou sendo preso. 

Lina volta para a casa, com o dinheiro que recebeu de Leandri, avisa Luigi sobre a prisão de Leandri e vão embora para o campo, junto com Luigi e a filha (Sandrina). 

Durante a viagem um fato aparentemente de pequena importância acabará tendo grande repercussão: A esposa de Luigi compra uma boneca para Sandrina e, para isso, ela usa do pouco dinheiro trocado que eles possuíam. O restante do dinheiro em poder deles eram em notas de alto valor. 

Daí, quando eles vão embora de trem, Luigi somente está com notas de alto valor (e molhadas, pois foi Leandri que lhes deu) para pagar pelas passagens. E quando o cobrador vê o dinheiro molhado e de alto valor, ele fica desconfiado e chama o Policial que está no vagão. O Policial persegue Luigi, que sai correndo do trem, para o desespero da esposa. 
Tamara Lees interpreta a bela e sofisticada mulher que atraiu Guido e colaborou com a investigação da Polícia.
Luigi fica sozinho, em meio a um matagal. Percebendo que a chance de fugir se evaporara e que iria passar um longo período na prisão, ele comete suicídio. Leandri, na prisão, é chamado para reconhecer o corpo de Luigi e fica arrasado com a morte do amigo. Com isso, ele acaba falando o nome dos outros dois (Alberto e Guido) para a Polícia. 

A Polícia continua com as investigações a respeito de Guido, consegue uma fotografia dele e também chega até uma bela e sofisticada mulher, graças a um desenho da mesma que Guido fez um ano antes e no qual consta o número de telefone dela. 

Tal mulher (sem nome) fornece informações a respeito de Guido para a Polícia, que manda imprimir inúmeras fotos do assaltante e espalha a mesma em locais públicos, sem que Guido tenha conhecimento do fato. 

Este desenho da bela e sofisticada mulher foi feito de graça por Guido para essa dama misteriosa, pois ele se sentiu bastante atraído pela mesma. 

Guido tenta fugir da região de forma clandestina, por via marítima, mas o dono do barco pede um valor absurdo (seis milhões de Liras) para levá-lo embora, pois sabe que Guido está envolvido no roubo do estádio.
Guido aponta uma arma para uma mulher, ao volante de seu carro, mas a sua tentativa de fuga não dará certo. 
Guido vai retirar a maleta de dinheiro e Alberto o encontra e pede para ir embora junto com ele, mas Guido não quer saber do companheiro de assalto e procura se livrar do mesmo. Assim, Guido mentiu para Leandri e, agora, trai Alberto. 

Mas quando Guido foi comprar a passagem de trem para Gênova, o vendedor o reconheceu e avisou a Polícia. Guido sai correndo da estação ferroviária quando é perseguido e troca tiros com os policiais, mas consegue fugir em um carro após atirar em um jovem. Alberto, assustado com o que viu, também foge. 

A mulher, dona do carro que Guido roubou, informa a Polícia, que sabe para onde ele está fugindo. Guido depara-se com um bloqueio policial na rodovia e retorna, mas ele encontra outro cerco. Ele toma outro rumo, indo até o barco no qual ele pensou em fugir anteriormente. Guido tenta negociar com os homens do barco, mas acaba sendo roubado e assassinado pelos mesmos. 

Vemos belas imagens da cidade e Alberto caminha, sozinho, e volta para a sua casa, que é vigiada pela Polícia. Quando ele entra em seu apartamento, policiais caminham em sua direção, mas ele sai pela janela, caminhando pelo parapeito, em situação de grande perigo, o que atrai a atenção de inúmeras pessoas na rua. 
O desenhista Guido tenta negociar com os donos do barco e acaba levando a pior. 
Seu pai e sua mãe, emocionados, o veem naquela situação e a mãe implora para que ele retorne, falando que não tiveram condições de dar muitas coisas ao filho, mas que fizeram tudo por ele. A fala emocionada da mãe faz Alberto chorar e ele consegue voltar para o apartamento. A Polícia o leva preso, enquanto a sua mãe continua chorando. 

Fim.

Obs7: Percebe-se que, nos filmes de Pietro Germi, o crime não compensa. Pietro Germi era um cineasta de fé católica e nota-se que em sua obra o Estado é apresentado de maneira positiva, pois ele é visto como a única força capaz de impor a lei e a ordem. Foi assim em 'In Nome Della Legge', no qual até a Máfia e a Burguesia se sujeitaram ao poder do Estado, e também neste 'La Città si Difende', onde a Polícia consegue desbaratar a quadrilha responsável pelo assalto. E o nome do filme ('A Cidade se Defende') também deixa claro que, para Germi, o Estado tem o direito de usar da força para que as pessoas possam viver em segurança. Mas é bom notar que este uso da força que Germi defende se faz sem a prática de torturas ou de outras ilegalidades e que, para ele, a Lei deve ser igual para todos, o que é muito raro de se acontecer no mundo real, em uma sociedade caracterizada pelas diferenças de classe, etnia, religião, de gênero, entre outras. Aliás, estas são algumas das principais críticas que se fazem a este ótimo filme 'Noir' de Pietro Germi. 
Alberto volta para casa e acaba sendo levado preso pela Polícia. Nos filmes de Germi a autoridade do Estado é vista de forma positiva. 

Informações Adicionais:

Título: La Città si Difende (A Cidade se Defende);
Diretor: Pietro Germi;
Roteiro: F.Fellini; Tullio Pinelli; Pietro Germi; Giuseppe Mangione; 
Duração: 76 minutos; Gênero: Drama; Policial Noir;
Ano de Produção: 1951; País de Produção: Itália;
Música: Carlo Rustichelli;
Fotografia: Carlo Montuori;
Elenco: Gina Lollobrigida (Daniela); Renato Baldini (Paolo Leandri); Cosetta Greco (Lina Girosi); Fausto Tozzi (Luigi Girosi); Paul Muller (Guido Marchi); Tamara Lees (Mulher do Desenho); Emma Baron (Mãe de Alberto); Enzo Maggio Jr. (Alberto Tosi); Patrizia Manca (Sandrina Girosi); Ferdinando Lattanzi (Pai de Alberto); Mario Besesti (Narrador).
Prêmio: Melhor Filme italiano do Festival de Veneza de 1951. 

Vídeo - Trailer do filme:

Nenhum comentário: