quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Luis Bunuel: "Susana" mostra como as instituições reprimem e sufocam as paixões humanas! - por Marcos Doniseti!

Luis Bunuel: "Susana" mostra como as instituições reprimem e sufocam as paixões humanas! - por Marcos Doniseti!
'Susana' é um dos excelentes filmes dirigidos por Luis Buñuel em sua 'fase mexicana', que durou de 1946 a 1964. Nesta obra, as instituições sociais são criticadas e desmascaradas pelo genial cineasta espanhol. 
Este belo e polêmico filme do genial cineasta Luis Buñuel trata de um tema que está presente em algumas das suas principais obras cinematográficas, que é a maneira como as instituições sociais (Polícia, Justiça, Família, Igreja) atuam como um fator de repressão das paixões humanas, que acabam sendo sufocadas.

Este assunto também é desenvolvido em outros excepcionais filmes de Buñuel, como é o caso, por exemplo, de 'Viridiana'.

"Susana" é um excelente filme da fase mexicana (que durou de 1946 até 1964, durante a qual Buñuel dirigiu 21 filmes) do grande cineasta espanhol e a trama gira em torno da jovem, bela e sensual Susana que, sendo perfeitamente consciente do fato de que possui a capacidade de seduzir e de deixar os homens completamente malucos por ela, acaba por usar deste poder para manipulá-los. 

Assim, Susana consegue fazer com que os homens se submetam aos seus desígnios, em busca do prazer sexual que as instituições sociais reprimem e que a Igreja Católica, em especial, considera como sendo 'obra do Demônio'. Mas esta maneira de viver desta jovem que leva uma vida independente também é um jogo perigoso, que chega até a colocar em risco a própria vida de Susana, pois as paixões humanas muitas vezes saem do controle. 

E com tudo isso ela consegue, literalmente, virar de cabeça para baixo a vida de uma próspera e tranquila família de um autoritário e orgulhoso fazendeiro mexicano (Guadalupe).
No reformatório onde está presa, Susana vê a cruz e implora a Deus para que o mesmo a liberte. O Todo-Poderoso atende ao seu desejo. E a discórdia irá se espalhar pela Terra...
E é claro que aos olhos dos cristãos mais fervorosos (que, no filme, é representado pela empregada, Felisa) um elemento tão perturbador e desestruturador, como é a jovem, bela e sedutora Susana, somente pode ser a encarnação do 'Demônio'.

Afinal, não dizem que se o Demônio viesse à Terra ele jamais iria aparecer de forma tão horripilante quanto as caricaturas medievais o pintavam (de rabo, tridente, chifres), mas sim sob a forma de uma bela, sensual e sedutora mulher, que pudesse semear a confusão, a discórdia e os conflitos entre os seres humanos?

Pois essa é Susana.

Susana é uma jovem que foi internada em um reformatório do governo mexicano e que é mantida presa, de maneira a isolá-la totalmente das pessoas. No início do filme, ficamos sabendo que ela chegou a ficar presa por dois anos e, agora, ela voltou para o reformatório. Não chegamos a saber o motivo da prisão anterior dela, mas a trama do filme acabará por revelar a razão de Susana ser tratada desta maneira, que é o fato de que para aonde ela vai o conflito e a discórdia acabam vindo à tona, desestruturando tudo ao seu redor. 

Na prisão, uma cela na qual está sozinha, Susana fica horrorizada quando percebe que faz companhia a morcegos, ratos, aranhas e, depois que vê a imagem de uma cruz no chão, ela começa a implorar a Deus para que a liberte daquele lugar.
A jovem, bela, sensual e manipuladora Susana chega a uma, até então, pacata fazenda, onde vivia uma harmoniosa família. Os moradores a acolhem, pensando que ela é 'jovem e inocente'.
Desesperada, ela consegue tirar a janela em meio a uma tempestade e foge do reformatório. Ela já havia tentado fazer o mesmo, antes de pedir e implorar a Deus, mas sem conseguir. Mas, depois, o milagre que ela pediu a Deus aconteceu. Então, é como se Deus tivesse tido piedade dela e a tivesse libertado daquela prisão.

Susana acaba indo parar em uma fazenda, onde acaba sendo bem tratada pela família que ali vive e que nada a sabe a respeito do passado e da origem da jovem. E é claro que ela irá inventar uma história, dizendo que o pai da família que a havia criado tinha tentado abusar dela, para que as pessoas daquela família tivessem piedade dela e a ajudassem. Com isso, ela conquista a simpatia de Carmen e consegue convencer o marido desta, o fazendeiro Guadalupe, a permitir que ela passe a viver junto com eles.

E é claro que eles não fazem a menor ideia de que as suas vidas irão mudar completamente, e para pior, em função disso. Afinal, Guadalupe e sua família pensam que Susana é apenas uma mulher bonita, jovem, recatada e do lar.

Nada mais equivocado...
Felisa olha para Susana, como que dizendo 'Eu te conheço, sua sem vergonha. A mim você não engana, não'. A idosa empregada não demorou a perceber o quanto Susana era manipuladora, notando, desde o início, que de 'inocente e recatada' a bela Susana não tinha absolutamente nada. 
A única que desconfia que dias piores virão com a chegada de Susana é a idosa empregada da família do fazendeiro (Felisa) uma velha experiente que sabe antecipar os perigos que se aproximam. 

Felisa chega a dizer para Carmen, depois, que Susana jamais conseguiria se transformar em uma mulher recatada, mesmo que a jovem usasse um hábito de freira.

Susana é, literalmente, um pedaço de mau caminho, sinônimo de perdição. E é claro que ela irá conduzir os homens da fazenda pelo mesmo...

Aliás, uma fortíssima tempestade atingia a região quando da chegada de Susana à fazenda de Guadalupe e o fato foi interpretado por Felisa como um sinal de que a mesma era obra do Demônio, pois sempre que uma tempestade como essa ocorria muitas coisas ruins acabavam acontecendo, ainda mais que não era época de chuvas.

Felisa diz que tempestades assim sempre deixam rastros...Felisa revela-se uma verdadeira profeta, pois não demora muito para que estas coisas ruins (que ela chama de 'coisas do Diabo') comecem a acontecer.
Sempre que ia ao encontro de Dom Guadalupe e Alberto, filho do fazendeiro, Susana arrumava o vestido de maneira a que ficasse mais sensual e provocante.
Dom Guadalupe, sua esposa (Carmen) e Alberto (o filho, que estuda agronomia na Cidade do México) seguem rigidamente regras sociais e familiares, como a de que a esposa e o filho somente podem se sentar à mesa para jantar depois que o chefe de família o fez. Depois, a família se une para jogar baralho. 

Assim, o clima familiar é de absoluto respeito e harmonia entre os seus membros, o que inclui também a empregada, Felisa. E nesta família os desejos mais profundos também são devidamente reprimidos e controlados, sendo que o mesmo acontece entre os empregados da fazenda. 

Mas é claro que até isso a jovem, bela, 'recatada' e sensual Susana irá modificar, representando o elemento que semeará discórdia e conflitos entre todos, fazendo com que todo o edifício social existente comece a desmoronar. 

Para começar, a égua está parindo um potro e o mesmo nasceu morto. E a própria égua, à qual o fazendeiro Guadalupe era muito afeiçoado, corre o risco de vir a morrer.

Felícia diz que parece que um Demônio está à solta por aí. Ela mal termina de falar tal frase, aparece Susana, olhando pela janela. E Felisa diz que é o Diabo... Mas a esposa de Guadalupe, Carmen, diz que Susana é jovem, asseada e inocente e quer que ela fique morando com eles... Mal sabe ela o que a espera.
Jesús apertou Susana contra o seu corpo e alguns ovos se quebraram, molhando as pernas da bela Susana. Esse Buñuel...
Guadalupe até pensou em mandar Susana embora da fazenda, mas foi convencido por Carmen a não agir desta maneira. E fica claro que ele desejava fazer isso não por rejeitá-la, mas porque se sentia atraído pela jovem. E a jovem mexe tanto com seus desejos que o mesmo até agarra e beija a esposa, para espanto desta. 

Inclusive, em uma cena na qual Susana, vestida de maneira sensual e provocante, está limpando os vidros do armário no qual Guadalupe guarda as suas armas, vemos o fazendeiro limpar o cano da arma com um pedaço de pano, enquanto a aponta para Susana, o que é, claramente, uma alusão ao ato de masturbação masculina. 

Esse Buñuel... 

Guadalupe também diz para Jesús que este avise aos demais funcionários da fazenda para que não paquerem essa jovem 'bela e inocente', pois apenas ele queria fazer isso, é claro. E é claro que Jesús obedece, pois ele também tem um forte sentimento por Susana, embora ela rejeite as suas 'cantadas'.

Assim, Jesús, empregado de Guadalupe, é outro que sente-se irresistivelmente atraído por Susana, chegando a perseguir a jovem quando esta vai buscar os ovos que haviam sido chocados pelas galinhas. Nesta cena, Jesús abraça Susana, que esmaga alguns ovos que ela tinha em seu vestido, fazendo com que um líquido escorra sobre as suas belas pernas, numa clara alusão ao ato e ao prazer sexual. 
Dom Guadalupe usa um pano para limpar o cano do seu fuzil, enquanto aponta o mesmo para a jovem, bela e sensual Susana. Esse Buñuel...
Mas embora rejeite as tentativas de Jesús, com Alberto, filho de Dom Guadalupe, ela age de maneira diferente, procurando se insinuar para cima dele que, é claro, também sente-se fortemente atraído por Susana. Até antes de conhecer Susana, Alberto era o típico filho estudioso, obediente, inteiramente respeitoso para com os pais. A chegada de Susana irá, no entanto, promover uma grande mudança em sua personalidade, fazendo com que aspectos até então desconhecidos da mesma (desejo sexual, ódio, vontade de independência) passem a vir à tona. 

Jesús, por sua vez, encontra-se com alguns policiais que procuram por uma jovem bonita que fugiu há dois dias do reformatório. É claro que ele percebe que estão falando sobre Susana, mas ele diz que não viu ninguém assim. E é mais do que previsível que Jesús vai usar essa informação para chantagear Susana, a fim de conseguir se relacionar sexualmente com ela, o que ele acaba conseguindo.

Porém, Susana rejeita totalmente as investidas posteriores de Jesús, pois seu interesse se volta para Dom Guadalupe, que é o dono da fazenda. Como se percebe, ela é bem ambiciosa. Afinal, porque ela se contentará em ficar com o empregado, se poderá conquistar o patrão?

E é evidente que Dom Guadalupe também irá se sentir atraído por Susana e isso é tão evidente que ele pede para que ela passe a usar roupas mais 'recatadas'. Como se isso fosse resolver alguma coisa... É claro que não vai, tal como a empregada irá perceber. 
Susana é uma mulher independente, cuja única preocupação é com o seu prazer sexual. Para ela, os homens são meros instrumentos para que lhe proporcione o mesmo, manipulando-os na cara-dura para atingir os seus objetivos. E é claro que ela não consegue, depois, controlar as paixões que desencadeia nos mesmos, tal como aconteceu com Alberto, o filho de Dom Guadalupe.
A empregada, Felisa, claramente representa o conservadorismo da Igreja, que condena como sendo um verdadeiro pecado diabólico a prática do sexo por mero prazer, que é a própria razão de viver de Susana, uma mulher independente que se preocupa apenas com a busca do prazer sexual, pouco se importando com as consequências negativas dos seus atos. 

Afinal, o problema não são as roupas, mas a beleza, juventude e a sensualidade naturais de Susana, que deixa os homens totalmente malucos, levando-os a cometer atos que, em situações normais (ou seja, quando os seus desejos estão sob controle) eles jamais o fariam. E Dom Guadalupe, inclusive, manda Jesús manter os empregados da fazenda longe de Susana pois esta seria 'boa e inocente'.

Até Carmen estranha quando o marido lhe diz para falar com Susana a respeito das roupas que esta usa, pois ela pensa que Guadalupe somente se interessa por cavalos e éguas... Bem, antes de Susana chegar à fazenda, pode ser que isso fosse verdade, mas agora a situação ficou bem diferente, algo que Carmen irá descobrir mais adiante. 

Como se percebe, a empregada, Felícia, é a única que percebe que Susana não tem nada de 'jovem e inocente'. E só para confirmar as suspeitas de Felicia, Susana sempre abaixa a alça do vestido quando vai ao encontro de Dom Guadalupe e de seu filho, Alberto. 
Susana simulou uma queda, apenas para fazer com que Dom Guadalupe acariciasse a sua perna. Jovem, bela, sensual, provocante, manipuladora. Essa é a Susana de Buñuel.
Assim, ela consegue seduzir e conquistar Alberto, que a beija e se apaixona perdidamente por ela. Porém, Alberto percebe que Jesús também possui um forte interesse por Susana, que acaba sendo chantageado por este, tendo que se relacionar com ele, mesmo contra a sua vontade, senão ele contaria a verdade a respeito dela para Dom Guadalupe.

Posteriormente, quando viu que Guadalupe estava caçando, ela fingiu ter se machucado e fez com que o fazendeiro acariciasse a sua perna, manipulando-o de forma descarada, tal como fez com o filho do fazendeiro. E é claro que Dom Guadalupe também acabará se apaixonando por esta jovem 'bela, asseada, recatada e inocente jovem'.

Assim, os três homens mais importantes da fazenda acabam sendo conquistados por Susana, que não resistem à sua beleza, juventude, sensualidade e fúria sexual. 

Em função disso, os homens da fazenda (Guadalupe, Alberto e Jesús) acabam ficando cada vez mais irritados e nervosos com a situação, pois desejam possuir Susana, tendo-a apenas para si. E é evidente que isso não é possível. 

Até Carmen, a esposa e mãe dedicada e fiel (esta, sim, recatada e do lar), acaba sendo maltratada pelo marido e pelo filho, pois ambos, tal como Jesús, estão perdendo a cabeça por culpa de Susana.
Jesús, empregado de Dom Guadalupe, não resiste aos encantos da bela e sensual Susana, chegando até a chantagear a jovem para que se relacionasse sexualmente com ela.
E é claro que tudo isso irá desencadear uma sucessão de conflitos entre todos eles, bem como com a esposa de Guadalupe, Carmen, e até com a empregada, Felisa, que percebe que todas as suas suspeitas a respeito de Susana acabaram se confirmando.

Desta maneira, Carmen acabará vendo o marido beijar Susana e descobre que o filho, Alberto, também se apaixonou intensamente pela bela jovem. Alberto e Jesús também tiveram um desentendimento e quase brigaram por 'culpa' de Susana. E até mesmo Dom Guadalupe e Alberto, pai e filho, quase que chegaram às vias de fato porque ambos estavam apaixonados pela manipuladora Susana.

Jesús, por sua vez, acaba sendo mandado embora da fazenda quando Dom Guadalupe descobriu que o mesmo pressionava Susana para que ela tivesse um romance com ele. Mesmo assim, Jesús voltou para a fazenda, chegando a ameaçar Susana, caso esta o rejeitasse. 

Assustada com as paixões que desencadeou em Jesús e Alberto e que ameaçam se voltar contra ela, Susana busca por Dom Guadalupe, o qual ela percebe ser o único que poderá protegê-la dos demais. E nesta cena ela chega a se ajoelhar perante o fazendeiro, o que é outra alusão ao ato sexual. 
Dom Guadalupe se apaixona perdidamente por Susana e chega até a decidir pela expulsão da esposa (Carmen) de sua casa, para que pudesse ficar com a bela jovem apenas para si.
Assim, mesmo Dom Guadalupe chega a se iludir quanto aos verdadeiros sentimentos e desejos de Susana. Afinal, para esta, os homens lhe são úteis apenas enquanto se dispõem a lhe proporcionar o prazer sexual que tanto ambiciona, não passando de meros joguetes em suas mãos. 

Assim, Dom Guadalupe, que anteriormente concedera à esposa (Carmen) o direito de contratar e despedir os funcionários que trabalhavam dentro da casa, humilhou a esposa na frente de todos, obrigando-a a aceitar a permanência de Susana na casa, mesmo depois que Carmen já havia mandado a jovem embora.

Desta maneira, o 'demônio' em forma de mulher, que é Susana e que foi libertado de sua prisão por Deus, provocou a discórdia e o conflito entre todos os membros desta família que, até antes da sua chegada, vivia feliz e em clima de total respeito e harmonia.

Aqui me parece que Luis Buñuel faz uma clara referência ao 'Apocalipse', onde é dito que Deus libertou o Diabo da sua prisão e que permitiu que ele gerasse conflitos e discórdias entre os seres humanos, antes que seja definitivamente aniquilado.

Mas a jovem Susana é ameaçada por Jesús, que retorna à fazenda. Atemorizada, ela decide que a única pessoa que pode protegê-la é Dom Guadalupe, o mais poderoso chefe local. Com isso, ela diz que o ama.
Alberto observa Jesús perseguir a jovem e provocante Susana. Esta desencadeou paixões intensas nos homens da fazenda, fazendo com que todos entrassem em conflito. 
Desesperada, Carmen pede ajuda divina, implorando para que o Todo-Poderoso faça algo que resolva aquela situação, que ameaça destruir a sua família. 

Carmen confronta Susana, mandando-a embora da casa e agredindo-a, mas a jovem a enfrenta e diz que se ela insistir nessa atitude ela mesma, Susana, fará com que Dom Guadalupe expulse a sua esposa da casa.

E era exatamente isso que o fazendeiro, loucamente apaixonado por Susana, iria fazer quando Jesús, percebendo que Susana não ficará com ele, leva a polícia para a fazenda e conta a verdade a respeito dela para todos.

Com isso, ao descobrir a verdade sobre Susana, Dom Guadalupe permite que ela seja levada embora.

O 'demônio' (Susana) foi expulso e, com isso, a harmonia e a felicidade voltaram a reinar naquela família, como se absolutamente nada tivesse acontecido.

As tempestades acabaram, o Sol voltou a brilha e até a égua, que estava à beira da morte, se recuperou. 

As instituições funcionaram (Polícia, Justiça, Família, Igreja) e as paixões humanas foram devidamente reprimidas e sufocadas.

Fim.
Carmen ataca Susana, que desestruturou a sua vida e de seus familiares. No fim, ela implora a Deus, para que ajude a salvar a sua família e acaba sendo atendida.  
Links:

Informações sobre o Filme: 


Lista de 21 filmes da fase mexicana da obra de Luis Buñuel:


Frases:

1) Guadalupe: Homens são como potros mal domados. Nunca se sabe como irão reagir.

2) Felísa: Nem um hábito de freira deixaria essa menina recatada.

Informações Adicionais:

Título: Susana;
Diretor: Luis Buñuel;
Roteiro: Manuel Reachi; Jaime Salvador; Rodolfo Usigli; Luis Buñuel;
Duração: 83 minutos;
Ano de Produção: 1951; País de Produção: México;
Elenco: Fernando Soler (Guadalupe, fazendeiro); Rosita Quintana (Susana); Victor Manuel Mendoza (Jesús, empregado); Maria Gentil Arcos (Felisa, empregada); Luis Lopez Somoza (Alberto, filho de Guadalupe); Matilde Palou (Carmen, esposa de Guadalupe); Rafael Icardo (Don Severiano, veterinário).
Música: Raul Lavista;
Fotografia; Jose Ortiz Ramos.

Vídeo - Trailer do Filme:

Nenhum comentário: