domingo, 3 de julho de 2016

'Gli Sbandati' ('Os Refugiados') é um belo filme sobre o amor, a guerra e as diferenças de classe na Itália fascista! - Marcos Doniseti!

'Gli Sbandati' ('Os Refugiados') é um belo filme sobre o amor, a guerra e as diferenças de classe na Itália fascista! - Marcos Doniseti! 
'Gli Sbandati' ('Os Refugiados') foi o primeiro longa-metragem da carreira de Francesco Maselli, que conta uma história de amor em meio a Segunda Guerra Mundial. As diferenças de classe tornam tudo mais difícil no relacionamento entre Andrea e Lucia (brilhantemente interpretada pela belíssima atriz, e ex-miss Itália de 1947, Lucia Bosé).
Este é o primeiro (e excelente) filme do diretor italiano Francesco Maselli, que, na época em que o dirigiu tinha apenas 26 anos. Cinco anos depois, Maselli fez uma outra ótima obra, que foi 'Il Delfini' ('Os Delfins', de 1960), no qual contou com a participação de outra lindíssima atriz (Claudia Cardinale). 

Em 'Il Delfini' também tivemos o desenvolvimento de uma trama a respeito de um tema que já havia aparecido em 'Gli Sbandati', que é o fato das desigualdades dificultarem e até impossibilitarem as histórias de amor entre as pessoas em função da hegemonia dos valores da burguesia na sociedade. 

Esse tema, inclusive, também voltaria a ser trabalhado por Maselli em 'Gli Indifferenti' ('Os Indiferentes', produzido em 1964), onde novamente o diretor trabalhou com Claudia Cardinale. 

Assim, estes três filmes de Maselli formariam uma espécie de 'Trilogia dos Valores Burgueses'. 

Antes deste belo 'Gli Sbandati' Francesco Maselli tinha dirigido vários documentários, bem como havia trabalhado como assistente de Michelangelo Antonioni e de Luchino Visconti. 

Aliás, este último ajudou (financeiramente) o diretor novato, na realização de um longa-metragem, a produzir 'Gli Sbandati', cuja realização era dificultada, na época, em função da censura promovida pelo governo democrata-cristão contra filmes que eram realizados por diretores ligados ao PCI (Partido Comunista Italiano), o que era o caso de Maselli, e que faziam duras críticas à burguesia italiana que, durante muito tempo, apoiou o regime Fascista liderado por Benito Mussolini.  

O filme contou com um orçamento bastante limitado e, talvez, isso também explique o fato de que ele tenha uma duração de apenas 75 minutos. 
Andrea, integrante da nobreza capitalista italiana, se apaixona pela jovem, bela e sensual Lucia, de origem proletária. O fato de pertencerem a classes sociais distintas irá dificultar o seu relacionamento. 
A trama do filme se desenvolve durante a Segunda Guerra Mundial, durante o Verão de 1943 (Junho-Setembro), num momento em que a Itália está sendo invadida pelas forças militares dos Aliados (EUA e Grã-Bretanha). Com isso, uma área crescente do território italiano (o Sul e a maior parte da região Central) acabou caindo sob o domínio das forças aliadas que eram comandadas pelos EUA e pela Grã-Bretanha.

Obs1: O Brasil criou a FEB (Força Expedicionária Brasileira), enviando 25 mil soldados para lutar na Itália, sob o comando do Exército dos EUA. O fato do país ter lutado contra as ditaduras nazi-fascistas de Hitler e Mussolini na Europa fez com que a ditadura do 'Estado Novo' fosse derrubada em 1945. 

A Itália era uma aliada da Alemanha Nazista desde que entrara na Guerra, em 10/06/1940, sendo que era bombardeada pelos Aliados em função disso. A invasão aliada resultou na derrubada da ditadura de Mussolini, em Julho de 1943, sendo que o novo governo do país (liderado pelo Marechal Badoglio) decidiu assinar (em Setembro de 1943) um armistício e passar para o lado dos aliados.

A se destacar, no elenco do filme, a presença de vários futuros diretores de cinema, como são os casos de Giuliano Montaldo (que fez 'Giordano Bruno', de 1973, e 'Sacco e Vanzetti', de 1971) e de Jean-Pierre Mocky (que interpreta Andrea). O roteirista Eriprando Visconti também se tornou diretor posteriormente. 
Apesar de serem integrantes de classes sociais diferentes, Andrea e Lucia se apaixonam, mas ele tem muitas dificuldades em superar as restrições familiares e sociais para poder assumir o seu amor pela jovem, bela e sensual e proletária. 
Obs2: A bela fotografia do filme, de autoria de Gianni Di Vennanzo, realça o clima meio que fantasmagórico da região, com suas fortes neblinas, localizada no Vale do Rio Pó. 

Porém, no norte do país, tivemos a invasão promovida pelos alemães, que libertaram Mussolini e implantaram a chamada 'República Social Italiana', também conhecida por 'República de Saló' (nome da cidade que foi escolhida para ser a capital da RSI), que foi um governo fascista fantoche que era inteiramente dominado pela Alemanha Nazista. Neste período, Milão, uma das principais cidades do norte da Itália, estava sob domínio nazi-fascista e era constantemente bombardeada pelos Aliados.

Isso faz com que a família de uma Condessa (Luisa), busque refúgio na sua propriedade rural, que fica numa pequena e isolada vila (Malga), localizada nas proximidades de Milão, as comunicações telefônicas com a grande e rica cidade industrial estão interrompidas e a população local não fica sabendo praticamente nada sobre o que está acontecendo. As informações chegam por meio do rádio, mas elas são vagas e genéricas, sem entrar em detalhes sobre o que, afinal, está acontecendo no país. 

Obs3: O filme mostra, bem, o quanto os italianos ainda estavam divididos, em termos classistas, neste momento da Segunda Guerra Mundial, sendo que uma parte da elite italiana ainda simpatizava com o nazi-fascismo e colaborava com o mesmo, enquanto que as camadas populares já estavam intensamente envolvidas com a Resistência anti-fascista. Não é à toa, portanto, que é a proletária Lucia quem vai pedir a colaboração do nobre capitalista Andrea para que o mesmo ajude os soldados italianos que fogem dos nazistas alemães, enquanto que o nobre burguês Ferruccio vai dedurá-los para os governantes fascistas da vila. 

A guerra na região norte, na qual os Fascistas continuam sendo aliados dos Nazistas, faz com que um número crescente de pessoas fuja do conflito, deslocando-se para as regiões mais afastadas, longe dos locais em que a guerra se desenvolve, como é o caso da pequena vila na qual transcorre a história do filme. 

Nesta vila, algumas famílias locais acabam por dar abrigo às famílias de refugiados, que fogem da guerra, permitindo que vivam temporariamente no lugar. Uma destas famílias de refugiados é a da belíssima Lucia, de origem proletária, que acaba sendo abrigada por uma família da nobreza capitalista local. 
Andrea e Lucia voltaram a se ver depois que ela foi pedir a ajuda dele para proteger os soldados italianos fugitivos. E o romance entre eles recomeçou. 
Embora a Condessa Luisa (proprietária de indústrias, ou seja, é uma nobre capitalista) desaprovasse a ideia de abrigar os refugiados, seu jovem filho, Andrea (de 20 anos), acaba por aceitar que Lucia (interpretada pela lindíssima atriz Lucia Bosè) e seus parentes fiquem em sua propriedade. 

Em pouco tempo, o jovem Andrea começa a demonstrar um forte interesse pela belíssima Lucia, apaixonando-se pela mesma, o que o leva a abandonar a sua namorada de perfil mais burguês. Mas as diferenças de classe social fazem com que ele se afaste da jovem Lucia, uma sensual e linda proletária, que trabalhava em uma empresa que fabricava caixas, fato este que era motivo de desprezo para um membro da nobreza capitalista, como era o caso dele, Andrea. 

Andrea, apesar de inegável paixão por Lucia, porém, não consegue admitir para a sua mãe e para os seus amigos mais próximos (seu amigo Carlo, filho de um líder fascista, mas que não é adepto da ideologia do pai, e Ferruccio, filho de um nobre que luta na Cavalaria italiana na Croácia, aliada dos países do Eixo), membros da elite italiana, que está interessado nela, uma jovem bela e sensual, mas cuja família é de origem proletária. 

Andrea até chega a convidar Lucia para ir até a sua casa, a fim de 'ouvir as notícias da Rádio Londres', mas acabou por dispensá-la, humilhando-a perante todos, o que fez com que ela se afastasse inteiramente dele por um bom tempo. E mesmo depois disso, quando voltou a encontrá-la, ao ser questionado por Lucia sobre o motivo que o havia levado a agir daquela maneira, ele assumiu que isso acontecia em função das diferenças de classe que existia entre eles. Isso faz com que Lucia se afaste dele novamente, recusando-se a encontrá-lo. 
Atores Marco Guglielmi (esquerda), Franco Lantieri (centro) e Fernando Birri (direita) interpretam soldados italianos fugitivos que recebem a ajuda de Andrea. Mas a sua mãe, a condessa Luisa, é uma aliada dos Nazi-Fascistas.
Andrea sofre intensamente em função do fato de não conseguir superar as restrições sociais e familiares, visto que a sua mãe, uma Condessa, repudia o seu relacionamento com uma jovem proletária. 

Porém, um fato que está diretamente ligado à Guerra irá mudar o relacionamento entre ambos. Na época, muitos soldados italianos estavam desertando, recusando-se a lutar ao lado dos alemães (Milão estava sob o governo da república fascista dominada pelos nazistas). E aqueles italianos desertores que eram feitos prisioneiros pelos alemães eram levados, em ferrovias, para a Alemanha. 

Obs4: Essa prisão de soldados italianos que eram levados para a Alemanha nazista aconteceu, sim, após o governo de Badoglio ter passado para o lado dos Aliados, em Setembro de 1943. 

Um grupo desses desertores conseguiu, porém, fugir do trem que os levava para a Alemanha e se espalhou justamente pela região da vila onde estavam Andrea, Lucia e seus familiares. Vários dos soldados foram mortos ao tentar fugir e um deles acaba se ferindo, necessitando urgentemente de atendimento médico. 

Com isso, Lucia vai até a casa de Andrea, a fim de pedir a sua ajuda. Ele concorda e manda levar o soldado fugitivo ferido para a sua casa. Junto, vão outros soldados fugitivos, que discutem a respeito do que deveriam fazer. A maioria deles decide tentar fugir do local, embora um deles tenha decidido voltar para a sua cidade de origem, a fim de ficar com a sua família. 

Ferruccio, o irônico e brincalhão membro da nobreza, tal como a Condessa Luisa, é contra a permanência dos soldados na casa, discute com Andrea e vai até a prefeitura informar os governantes fascistas sobre a presença dos soldados fugitivos no local.
Francesco Maselli, diretor italiano ligado ao PCI e que é considerado o último grande diretor neo-realista italiano vivo. 
Mas o soldado que havia decidido retornar para a sua família viu Ferruccio sair da prefeitura, concluindo que o mesmo tinha contado aos governantes fascistas sobre a presença dos soldados fugitivos na casa de Andrea, levando-o a voltar para o local e informar os demais. 

Sabendo do fato, Carlo e Lucia também decidem ir embora, a fim de fugir dos nazi-fascistas, sendo que Andrea estava decidido a ir junto com eles. 

Um pouco antes dos três saírem, no entanto, chega a condessa Luisa, junto com um oficial alemão. Este ordena aos soldados que poupem a casa dela e que vão atrás dos soldados fugitivos. 

A condessa implora e acaba convencendo o filho, Andrea, a ir embora, com ela, para a Suíça, lembrando-o das suas responsabilidades com a família, as empresas desta, bem como com a classe social a que ele pertence. 

Lucia olha para Andrea, com um olhar sofrido, e chora, naquela que é a mais bela cena do filme, pois mesmo sem que Andrea diga nada, ela percebe que ele a está abandonando.

Obs5: Quando o filme foi exibido no Festival de Veneza de 1955, a cena de Lucia Bosé, chorando, fez o público aplaudí-la em pé. Consta que ela somente não ganhou o prêmio de melhor atriz devido ao fato de ter sido dublada no filme, embora seja de nacionalidade italiana. 

Logo depois, vemos Andrea no carro, indo embora com a mãe, enquanto ele ouve, desesperado e chorando, os tiros que matam Lucia. E daí vemos um soldado alemão virando o corpo dela, com o pé, já sem vida. 

Fim. 
O corpo de Lucia, morta, estendido na estrada. 
Informações Adicionais:

Título: Gli Sbandati (Os Fugitivos; traduzido no Brasil, de forma equivocada, como 'Abandonada');
Diretor: Francesco Maselli;
Roteiro: Francesco Maselli, Eriprando Visconti e Ageo Saviolli;
Duração: 75 minutos;
Ano de Produção: 1955; País de Produção: Itália/França;
Elenco: Lucia Bosé (Lucia); Jean-Pierre Mocky (Andrea); Leonardo Botta (Ferruccio); Anthony Steffen (Carlo); Isa Miranda (Condessa Luisa); Giuliano Montaldo (Soldado fugitivo, originário da Toscana); Ivy Nicholson (namorada de Andrea); Franco Lantieri (soldado fugitivo, originário do Veneto); Mario Girotti/Terence Hill (soldado ferido). 
Prêmio: Diretor Mais Promissor no Festival de Veneza de 1955.

Link: Informações sobre o filme: 

http://www.imdb.com/title/tt0048585/?ref_=fn_al_tt_3

Trailer do filme:

Nenhum comentário: